Publicidade

Roda Motor

reserva.jpg

Cuidados com o carro rodando na reserva

Por
Foto Ragnara Zago

Condutor deve ficar atento para não provocar danos no veículo

Neste tempo de combustível caro e escasso durante a greve dos caminhoneiros, é comum motoristas rodando até o limite do estoque do tanque com seus veículos. Além dos risco de "ficar na estrada", surgem várias dúvidas de como proceder com o carro nos momentos em que o tanque está quase vazio.
O ideal é manter o nível de combustível com no mínimo um quarto de tanque. Dessa forma, a bomba de combustível - que trabalha dentro do tanque - estará sempre refrigerada.
Com o tanque muito vazio, eventuais resíduos de combustível podem se acumular no fundo do reservatório e ser aspirados pela bomba, fazendo com que o veículo falhe e, em casos mais graves, até mesmo danificar o motor.
Ficar sem combustível repentinamente, além de levar o motor a parar de funcionar, também pode colocar a segurança do motorista e dos passageiros em risco, pois prejudica o funcionamento inclusive do sistema de frenagem, exigindo o uso de mais força no pedal para que o veículo pare.
Como está sendo desafiador seguir essa recomendação, é preciso ficar atento a alguns pontos.
Limite da reserva
A maioria dos motoristas sabe que o veículo pode rodar ainda alguns quilômetros mesmo após acesa a luz amarela que indica que o consumo chegou à reserva do tanque. Mas os especialistas recomendam que seja consultado o manual do veículo, considerando que esse limite varia de acordo com a marca e com o modelo do automóvel. Geralmente, a luz de alerta é acionada quando o tanque tem entre 4 e 8 litros, o que indica uma autonomia média de 40 quilômetros.
Etanol e gasolina
Os veículos flex estão preparados para rodar tanto com o etanol (álcool) quanto com a gasolina e até mesmo com a mistura desses dois combustíveis, independentemente da proporção. Para que não haja problemas é recomendado, apenas, que, após o abastecimento com a mistura de combustíveis, o motorista rode por, no mínimo, entre 5 a 10 minutos para garantir a adequação e a estabilização dos parâmetros do motor. Também é importante verificar a gasolina no tanque auxiliar de partida, conhecido como tanquinho. São suficientes cerca de 400 ml para auxiliar a partida do motor.
Após a regularização do abastecimento, é preciso ficar atento à mudança de comportamento do veículo, como falhas ou aumento de consumo. Caso isso ocorra, é preciso procurar um especialista, lembrando que existem equipamentos (semelhantes aos de endoscopia) que conseguem avaliar as condições da câmera de combustão do motor.

 

Leia também