Blog do Edson Castro

IMG_2461.JPG

'Conflito' EUA x China pode beneficiar agronegócio brasileiro

Por Edson Castro

Dentro de 15 dias, tive a oportunidade de realizar duas entrevistas e um dos assuntos foi o mesmo: o conflito de sobretaxas de produtos Estados Unidos (EUA) x China e vice-versa. E neste rol entra a soja. E nesta questão, o Brasil pode se dar bem. Nilton Cipriano Dutra de Souza, assistente técnico regional da Emater, e João Picolli, presidente do Sindicato Rural de Erechim, acreditam em uma mesma situação: a crise entre dois gigantes, um produtor e outro consumidor de soja, pode acabar refletindo positivamente no agronegócio brazuca. 

Em face a isso estão ainda as projeções de especialistas que apontam uma possibilidade de os EUA produzirem até 500 mil hectares a menos de soja na próxima safra, enquanto o Brasil, dependendo do resultado desta safra, pode aumentar em até 1 milhão de hectares. Além disso, o Brasil deve se tornar em 2018/2019, o maior produtor mundial do grão, o que seria uma grande notícia para o nosso agronegócio.
Bons ventos tem tornado a agricultura um dos principais negócios no País nos últimos anos e outros devem soprar a favor nas próximas safras.

7.500.000

É a projeção de toneladas a menos de soja e milho nos EUA na próxima safra

1.000.000

De hectares é o que o Brasil pode avançar no plantio de soja na próxima safra

Venda de veículos é a maior desde 2015

O mercado brasileiro de veículos novos terminou o primeiro trimestre deste ano com o maior número de vendas para o período desde 2015. Foram 545,5 mil unidades emplacadas, crescimento de 15,6% em relação a igual intervalo do ano passado, mostra balanço da Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), que considera os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. 
Com o resultado, a Fenabrave decidiu revisar sua previsão para o desempenho do mercado no ano todo. A projeção, que antes era de expansão de 11,8%, passou para avanço de 15,2%.
Só em março, as vendas tiveram alta de 9,6% em relação a igual mês do ano passado. Trata-se do 11º mês seguido de expansão do mercado em comparações com o mesmo mês do ano anterior. No total, foram vendidas 207,3 mil unidades, o maior volume para março desde 2015.

Menos pedidos de Recuperações Judiciais

Segundo o Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações, de janeiro a março de 2018, foram requeridos 385 pedidos de recuperações judiciais, aumento de 19,6% do que o registrado no mesmo período de 2017, ou seja, 322 ocorrências. Nos três primeiros meses de 2018, as micro e pequenas empresas tiveram 237 pedidos, seguidas pelas médias (91) e pelas grandes empresas (57). Na comparação interanual, em março/18 foram requeridos 190 pedidos de recuperações judiciais, aumento de 52,0% em relação a março/17. Já em relação a fevereiro, os pedidos subiram 43,9%. As micro e pequenas empresas lideraram os requerimentos de recuperação judicial em março de 2018, com 122 pedidos, seguidas pelas médias (40) e pelas grandes empresas (28). 

Leia também

Blog dos Colunistas

Publicidade

Horóscopo

Peixes
20/02 até 20/03
Pode se dar bem se anotar suas ideias e colocar em...

Ver todos os signos

Publicidade