Blog do Rodrigo Finardi

Será que iremos esperar mais quantos anos.JPG

Lenda urbana: manchete de 2009 já prometia o projeto da Transbrasiliana

Por Rodrigo Finardi
Foto Rodrigo Finardi

“Dnit libera recursos para projeto de asfaltamento da Transbrasiliana”. Esse foi o título de matéria publicada no site da prefeitura de Erechim em 19 de novembro de 2009.

No teor do texto, que já estaria à disposição da superintendência do Dnit no RS os recursos para a realização do projeto de levantamento técnico da BR 153 no trecho Erechim à Passo Fundo. Diz ainda que esse seria o passo inicial para o asfaltamento do trecho. Foi até realizada uma audiência pública na Câmara de Vereadores com os municípios da região.

Na época o investimento era de R$ 2,57 milhões e o processo todo era para ser concluído até novembro de 2010, para lançamento do edital de asfaltamento da rodovia para ser concluído em dois anos.

Lá se vão quase nove anos e não saiu do papel, como outras vezes. Na sexta-feira (6) novo ato foi feito para a futura liberação de recursos para o projeto técnico na UPF, com a presença de muitos políticos aproveitando o período final dos prazos eleitorais para comparecer em eventos desta natureza.

Como escrevi recentemente, sou cético com relação a obra, mas quero acreditar, e que não precisamos esperar mais nove anos. Ou não se fale mais do assunto, principalmente em período eleitoral.  

Por isso é normal que a população não acredite mais nos políticos. Está virando uma lenda urbana. 

 

Eleição como divisor de águas  

O PHS de Erechim deverá definir nos próximos dias quem será o seu candidato a deputado federal. Tem dois pré-candidatos: o presidente do partido e suplente de vereador Rogério Pizzatto e o empresário Adacir Carlotto.

Conversando com Carlotto, acredita que esta eleição é um divisor de águas e pode ser o fim dos grandes partidos – sem nominá-los. Para ele a Câmara dos Deputados detém o maior poder do país para fazer as coisas acontecerem, mas as verdadeiras mudanças e reformas necessárias não são feitas.

Sobre a região apoiar candidatos daqui diz ser fundamental se quisermos ser ouvidos: “não posso falar de demandas regionais específicas, pois precisamos de tudo no Alto Uruguai”. Com essa frase, reforçou a falta que faz a representatividade regional. 

 

Pré-candidato ao governo gaúcho em Erechim

O pré-candidato ao governo do Rio Grande do Sul pelos Progressistas, Luis Carlos Heinze visita o Alto Uruguai na quinta (12) e sexta-feira (13).

No primeiro dia (12), às 19 horas no Clube Caixeiral participa de reunião regional do partido e uma hora antes recebe a imprensa para uma coletiva. 

No segundo dia (13) pela parte da manhã às 8h30min no Sindicato Rural de Erechim fará palestra com o tema “Como fazer o Rio Grande forte outra vez”.  Depois segue o roteiro com visitas pelo Alto Uruguai.

 

As feiras e o acampamento

O secretário de Desenvolvimento Econômico de Erechim, Altemir Barp falou que as feiras Espaço Cozinha e Direto da Indústria que acontece de forma simultânea com o Acampamento Farroupilha de 7 a 20 de setembro, não irá atrapalhar a Frinape que será realizada em novembro.

De acordo com o secretário esses expositores não estarão na Frinape e desta forma irá fortalecer o acampamento, além dos próprios expositores terem a oportunidade de mostrarem seus produtos e prospectarem negócios futuros.  

 

CCs no Executivo e no Legislativo

De acordo com o portal de transparência da prefeitura de Erechim, até a tarde de ontem (10), estão registrados 114 CCs (Cargos em Comissão). Já a Câmara de Vereadores tem 43 CCs, incluindo os assessores parlamentares.

 

Projeto rejeitado e linha de pensamento

Na noite de segunda-feira (9) durante sessão ordinária da Câmara de Vereadores, projeto do Executivo foi rejeitado por 8 a 6 (com duas abstenções). E desta vez não foram vereadores de situação contra oposição. Foi mesclada a decisão. O vereador Claudemir de Araújo (PTB) que normalmente vota favorável foi contrário (vem adotando uma postura independente em vários temas). Ale Dal Zotto (PSB) que tem um perfil oposicionista votou favorável.

Com o passar do tempo, se sentem algumas mudanças na linha de pensamento. E isso poderá se acentuar após as eleições de outubro, quando ocorrerá uma readequação das forças políticas no país, com reflexos diretos nos municípios.     

O projeto em votação alterava a lei em alguns artigos sobre a legislação tributária e o código tributário municipal, que segundo justificativa do Executivo, caso não fosse aprovado o prefeito pode ser enquadrado em improbidade administrativa. Tal alteração é em função de legislação federal. A prefeitura terá que buscar alguma medida judicial para fazer valer para o gestor não ser responsabilizado.   

Blog dos Colunistas

Publicidade

Horóscopo

Libra
23/09 até 22/10
O dia representa pessimismo, preocupação e...

Ver todos os signos

Publicidade