Publicidade

Blog de Gilberto Jasper

Geral

Gilberto Jasper

Gilberto Jasper é jornalista formado pela Unisinos e atua na área de consultoria e assessoria de comunicação.

Escreve no Jornal Bom Dia sobre assuntos gerais, geralmente sobre comportamento, política e família.

  • A responsabilidade de cada um

    Por Gilberto Jasper
    Foto Divulgação

    O esfacelamento do governo Temer, comprovado através de recente pesquisa de opinião, se agrava e penaliza os brasileiros extorquidos por impostos abusivos sem contrapartida de serviços. O episódio da elaboração da tabela de fretes é o mais recente capítulo da trajetória errática de um presidente da república que usou todo tipo de estratagema para chegar ao poder.

    A hesitação, somada à corrupção que permeia os gabinetes palacianos, fez de Brasília foco de notícias que lembram um barco à deriva. A governabilidade, que justifica todo tipo de barganha, promoveu personagens altamente suspeitos a ocupantes de cargos de relevância. Carência moral somada à incúria administrativa resultou na sucessão de crises que comprometeu a vida nacional, com a recente greve dos caminhoneiros.

    O mandatário maior do Brasil é alvo da ojeriza nacional. Não é preciso recorrer a pesquisas de opinião para notar que não existe sintonia entre os decretos editados e a realidade.

    O mais incrível é constatar que Temer parece ter brotado em canto de Brasília. Afinal, parece que ninguém sufragou seu nome. Trata-se de um esquecimento conveniente daqueles que o escolheram candidato a vice-presidente e hoje fogem desta premissa.

    A responsabilidade pelo caos também é nossa. Não dispensamos o devido valor ao voto, arma democrática conquistada a duras penas. Um grande contingente de brasileiros vai às urnas blasfemando, esquecendo que a ditadura amordaçou, matou, torturou e censurou. E que foi através da política – e do voto – que reconquistamos a democracia.

    Em outubro teremos nova oportunidade para renovar ou revogar a procuração concedida há quatro anos. O Estado e o país atravessam crises intermináveis, resultado de incompetência, omissão e de falta de agilidade. Diante da urna eletrônica é preciso fazer um exame. De consciência e sobre quem vai nos representar.

    Os cargos majoritários têm candidatos a vice e suplentes. Sem a devida atenção corremos o risco de repetir o festival de equívocos que alterna processos de impeachment com impedimentos motivados pela inaptidão e incúria. Reclamar, protestar e denunciar são comportamentos que devem ser precedidos pelo voto consciente, responsável.

    Estamos diante de uma nova oportunidade para construir uma sociedade justa, ética e sintonizada com a modernidade. Este processo se inicia com o voto cônscio de cada brasileiro.

  • O inferno são os outros

    A frase de Jean-Paul Sartre resume com fidelidade o Brasil. Todos os dias somos assaltados por notícias de tirar o fôlego, de nos encher de revolta e indignação e nos levar a condenar muita gente. Com ênfase para os políticos. Na atual conjuntura, a política se transformou na Geni da hora, personagem preconizado por Chico Buarque a quem todos apedrejam como única culpada de todos os males.

  • Um convite de irmão

    Um amigo de longa data adotou um gesto que somente os grandes parceiros são capazes: me convidou – juntamente com a minha esposa – a passar o feriadão de Carnaval em sua casa de praia. E não se trata de uma moradia qualquer. É um imóvel espaçosa, confortável. Para completar, a moradia localiza-se a poucos metros do mar numa praia pequena, calma e sem a zoeira dos grandes balneários. O convite, que é uma reiteração de vários anos anteriores, desta vez foi aceito.

Blog dos Colunistas

Publicidade

Horóscopo

Virgem
23/08 até 22/09
A fase lunar nova ocorre no signo anterior ao seu,...

Ver todos os signos

Publicidade