Euro R$ 3,68 Dólar R$ 3,28

Publicidade

Blog de Neivo Zago

Geral

Neivo Zago

Neivo Zago, especialista em Língua Inglesa (Unisinos) e mestre em Línguística (UFSM). Professor de português e de inglês desde 1974, ininterruptamente.

Lecionou em escolas estaduais e particulares (curso de inglês). Atualmente trabalha na URI. 

É colaborador assíduo escrevendo às sextas-feiras sobre assuntos gerais, específicos e temas do cotidiano.

  • Honório Tonial x José Luiz da Silva

    Por Neivo Zago

    A letra “x” (versus) como na configuração acima normalmente indica um confronto, um embate, um duelo entre forças opostas, entre duas equipes de futebol, de dois lutadores ou gladiadores. Não é o caso do Honório e do José Luís, pois ambos, agora de saudosa memória, não competiram entre si por meritocracias e nem por brilhos de holofotes, mas do seu jeito singular doaram-se pelas várias causas que abraçaram.

    Quando uma pessoa do nosso círculo de amizade, da nossa predileção, parte, nós sabemos que ela leva parte de nós e, em contrapartida, deixa a sua parte. Isso ocorre em menor ou maior grau, dependendo do estreitamento dos laços afetivos. Não há sequer um único ser humano vivo que não tenha passado pela experiência da perda. Que o digam, dentre outros, os familiares, amigos e parentes do professor Honório Tonial e do maestro José Luiz da Silva. Duas pessoas, dois professores talentosos em seus ofícios e que deixaram um precioso legado e espalharam raízes como árvores frondosas e frutuosas. Sabemos que as palavras são insuficientes, efêmeras, impotentes para descrever a vida de pessoas assim.

    Do maestro José Luiz eu guardo remotas lembranças em forma de polígrafos e partituras musicais do curso sobre Técnica Vocal, Regência Coral e afins. Sobretudo um elogio que ele me concedeu nas composições de vozes, não apenas deixando-me na ocasião lisonjeado, mas serviu como um incentivo para que eu levasse a bom termo a atividade. Uma lisonja, todos nós sabemos, não apenas na área musical, mas em qualquer atividade motiva o seu receptador. José Luís, quando se transferiu definitivamente para Erechim teve algumas dificuldades de percurso e graças a amigos como o colega Artur F. Batista e familiares que lhe deram apoio e guarida pode viver e compartilhar mais dignamente o seu convívio. Talvez a bela e profunda mensagem lida pelo professor Rovíio Collet (no último domingo), melhor retratam a caminhada do José Luís.

    Por sua vez, o que dizer da trajetória do professor Honório. Como professor, galgou degraus desde “maestro” da antiga escola primária; diretor comercial de cooperativa; chefe do Setor regional da Campanha nacional de Alimentação de Erechim; orientador de Ensino Rural da 15ª e posteriormente coordenador da mesma instituição. Destacou-se como professor de italiano. Levou ao ar programas divulgando a língua talian. E, para perenizar a língua escreveu um dicionário de português-italiano (que obra!) e vários livros, como “Na sbranca de stòrie e fròtole” que, por coincidência se constituiu em uma das opções de leitura que eu carrego diariamente na bolsa e fortuitamente dou uma espiada à medida que preciso aguardar um atendimento.

    Muitas vezes ficamos surpresos sabendo do passamento inesperado de amigos por outros amigos ou pelos meios de comunicação. Só então nos damos conta o quanto a vida é fugaz e que paralelamente à rotina diária não deveríamos descuidar de estreitar os nossos relacionamentos entre familiares e amigos. Até porque costumamos apenas mensurar o quanto eles são importantes em vida, mas quando não os temos mais a sua falta provoca um profundo vazio em nossa alma. 

Publicidade

Blog dos Colunistas

Publicidade

Horóscopo

Gêmeos
21/05 até 20/06
A fase lunar nova estimula aprendizados e contatos com o...

Ver todos os signos

Publicidade