Euro R$ 3,68 Dólar R$ 3,28

Publicidade

Blog de Jaime Folle

Geral

Jaime Folle

Formado em Administração, pós-graduado em Contabilidade e mestre em organização e direção de empresas e em Gestão de Desenvolvimento.

Escritor com três livros publicados, Jaime Folle trabalhou por 30 anos como professor universitário e palestrante. 

 

  • As duas partes do amor

    Por Jaime Folle

    Não há amor completo que venha de uma só parte. O outro é a parte que desperta todas estas situações: brilhantes ou opacas, tristes ou felizes. E para quem pensa que ser amado sem precisar amar é uma grande glória, se engana, porque a completude desta grande dádiva que é o amor está justamente no encontro das duas partes que se completam.

    Quem ama sem ser amado não sente a totalidade do amor, e quem é amado sem amar não alcança a magia que o amor traz, porque falta exatamente esta fusão, este entrelaçar de sentimentos. Desta entrega total, num um sentimento de união de “gostar sem limites” e que faz nascer ou renovar a cada dia o verdadeiro amor.

    Lutar pelo outro com amor é um sentimento inexplicável, que transforma as pessoas, que as encoraja às mais absurdas atitudes, que arrebenta barreiras aparentemente intransponíveis.

    É por todas estas características que as pessoas deixam o amor se instalar de forma arrebatadora, de forma fulminante, mas ao mesmo tempo, de forma romântica, sutil e muito gostosa de sentir que são as partes que se completam.

    Se você quer transformar o mundo pense no seu grande amor, retome o momento mais forte dos seus sentimentos, não caia na armadilha de que os outros acham ou pensam o que é melhor pra você. Somente você sabe do que é bom ou ruim, e o amor nunca será ruim quando as duas partes se amam de verdade.

    Muitos fofoqueiros de plantão por estarem de mal com o amor não querem que os demais acreditem neste sentimento tão lindo e tão sublime que Deus colocou na vida dos seres humanos.

    Se você quer acabar o mundo, também pense no seu grande amor. Se existe amor, há também esperança de existirem verdadeiras famílias, verdadeira fraternidade, verdadeira igualdade e verdadeira paz. Se não há mais amor, só haverá sofrimento e confusão no cômputo final. O homem continuará enganando-se e subjugando a outros homens e, por final, vai insultar e maltratar a si próprio por causa do outro.

    Somente o amor pode dar a paz e completar a parte que falta de cada um.

    Tudo pelo outro.

    Tudo por causa do outro.

    Até a próxima

Publicidade

Blog dos Colunistas

Publicidade

Horóscopo

Leão
22/07 até 22/08
Dois belos acontecimentos astrológicos hoje: a Lua...

Ver todos os signos

Publicidade