Euro R$ 3,89 Dólar R$ 3,31

Publicidade

Blog de Espaço Espírita

Espiritismo

Espaço Espírita

  • Jesus e a família

    Por Espaço Espírita
    Foto Divulgação

    Jesus e a família

    Em face do estridor dos camartelos da loucura que grassa em toda a parte, a família sofre-lhe as inevitáveis consequências, desestruturando-se e experimentando os choques violentos que a combatem.

    Irrompem, em tropel ensurdecedor, os desatinos que tentam cidadania através da vulgaridade e da permissividade que atingem índices quase insuportáveis.

    O desvario domina os mais diferentes grupos sociais, predominando em quase todos, em bem urdida conspiração contra os valores ético-morais que devem vicejar como pilotis de segurança e equilíbrio humano.

    Em uma sociedade na qual vigem o desrespeito pela dignidade, a agressão ao pudor, o campeonato da promiscuidade, que medem os indivíduos e os exaltam pelas suas defecções e corrupção, em desenfreada sede de prazer vulgar, o sentido da vida e o seu valor psicológico experimentam grave perigo de anarquia.

    A exaltação do sórdido e do grotesco em espetáculos de horror, aplaudidos pela massa desorientada, representa a mais expressiva manifestação de decadência, a um passo da desorganização geral.

    Os seres humanos são medidos pelas suas conquistas morais e culturais, intelectuais e de sentimento religioso, pelas lutas empreendidas em favor dos demais, pelos sacrifícios que elevam e se tornam estímulos de vida, e nunca pelas suas formas de degradação e desrespeito a todas as conquistas já realizadas, em terrível apelo para o retorno ao primarismo e ao hedonismo extravagante, em apresentações cada vez mais indignas.

    Os passos gigantescos que já foram logrados pela civilização não podem ser esquecidos, empurrando os cidadãos pelas ribanceiras do sexo alucinado, das drogas consumptivas, dos vícios desordenados.

    Inegavelmente, a sociedade atual experimenta grande desafio, que a convoca a decidir entre o esdrúxulo, o desprezível, o correto e o nobre, num momento de graves apelos à reflexão.

    O fantasma das enfermidades dizimadoras ronda; a garganta escancarada da guerra abre-se temerária; os sofrimentos campeiam desordenados; no entanto, os indivíduos anestesiam-se nas paixões mais vis, procurando fugir da realidade que os ergueria à paz, transferindo para oportunidade menos feliz o seu momento de despertar.

    Jesus, nesse abismo, torna-se motivo de atração circense nas propostas de televisão e de rádio, como se, havendo fracassado na forma superior de apresentar-se aos discípulos descuidados, necessitasse dos apêndices da sordidez do momento, para atrair os desatinados ao Seu coração.

    O aturdimento que resulta do fracasso das religiões ortodoxas que não se preocuparam em iluminar a criatura, mais interessadas nos empenhos materiais do que no ser humano, apresenta esse saldo lamentável que se expande em formas ainda mais estranhas de gerar prosélitos, ora sob ameaças punitivas, momentos outros sob alternativas de poder e glória terrestre...

    Faz-se urgente o retorno de Jesus à família.

    Somente a Sua presença no lar pode oferecer segurança e equilíbrio para todos quantos se encontram à mercê dos instrumentos de comunicação, preocupados com o consumidor e desinteressados totalmente da criatura.

    Humanizar esses veículos, estabelecer programas de educação, de valorização humana, em vez da exaltação das aberrações, é dever de todos aqueles que já travaram contato com o Evangelho.

    Iniciando-se na intimidade da família, pelo menos uma vez por semana, um encontro fraternal com todos os seus membros, no qual sejam debatidos os problemas existentes e apresentadas as soluções que já estão delineadas na lei do amor, a reunião terá por finalidade essencial construir a paz no íntimo de cada um, para que se volte a experimentar a alegria pelas coisas simples e edificantes, sem as convulsões e os apelos dos instintos primitivos.

    A análise da palavra de Jesus em reunião familiar, em vez de se manifestar como uma questão religiosa, repetitiva e automática, deve ser rica de encantamento, de fraternidade, em debate franco, filosófico e de renovação social, de maneira que expresse um cometimento para desenvolver o pensamento, a capacidade de entender a vida e a permuta de ideias.

    Quando Jesus se adentra no lar, a família se reconstrói e os seus membros descobrem os objetivos da consanguinidade, estabelecendo metas de dignificação, que são alcançadas a pouco e pouco.

    Ante a meridiana luz dos ensinamentos de Jesus, o corpo é veículo que deve ser dignificado pelo que representa para o Espírito no seu processo de evolução. Em vez de objeto de mercado insensato do sexo transtornado e das infâmias morais, é um patrimônio que deve ser preservado com elevação, em face da sublime tarefa que lhe diz respeito no processo da iluminação da consciência.

    Ninguém foge de si mesmo. As espetaculares buscas do grosseiro de forma alguma anulam a presença de Deus na consciência que, adormecida temporariamente, despertará em momento próprio gerando aflições sem nome.

    Desse modo, torna-se urgente a necessidade de introduzir Jesus como membro da família, participando da convivência doméstica e tornando-se um ser sempre presente em todos os momentos.

    De princípio, uma vez por semana a Sua sábia convivência contagiará a todos, abrandando os sentimentos e trabalhando-os, de forma que a paz e a plenitude se farão naturais no íntimo de todos.

    Não postergues o encontro de tua família com Jesus.

    Faze-o quanto antes, porque mais tarde provavelmente será tarde demais.

    De começo, apresenta-O àqueles a quem amas, de forma sutil, agradável, convidando-os à reflexão, e lentamente deixa-O tomar conta dos corações, verificando que somente através da Sua proposta a vida no lar pode tornar-se realmente feliz.

    Nunca te arrependerás por trazê-lO ao convívio familiar. O oposto, porém, será diferente, e quando o lamentares, somente padecerás desnecessários remorsos.

    Jesus é Vida, e Vida em abundância!

    Tua família é tua vida, sem dúvida. Por isso mesmo, aproxima-a de Jesus e faculta-lhe haurir a Sua sabedoria e a Sua paz.

     

    Livro: Fonte de Luz

    Autor: Divaldo Frando

    Espírito: Joanna de Ângelis

Publicidade

Blog dos Colunistas

Publicidade

Horóscopo

Aquário
21/01 até 19/02
A fase lunar nova ocorre no setor de relações...

Ver todos os signos

Publicidade