Publicidade

Blog de Coluna do Leitor

  • Planeta água. Planeta azul

    Por Coluna do Leitor
    Foto Divulgação

    Planeta água. Planeta azul

    Gaby Garbin Mársico
    Professora aposentada

    Planeta água como diz a música é também o planeta azul, nosso berço, chamado pelos antigos gregos de GAIA ou GEIA, que representa a deusa grega da Terra.

    Em homenagem a ela fiz um poema (em 1984) que consta do meu livro “Mulher Ladainha” que começa assim:

                                       No começo era só ela

                                       envolvida em gases

                                       preservativo carinhoso

                                       protetor

                                       E a obscura deusa

                                       rompeu sua placenta

                                       aflorou em beleza

                                       gerou criaturas

                                       e se fez gênesis.

    Nesta semana dedicada a ela, ou seja, ao meio ambiente, é especial para lembrar, nós humanos, da importância vital de cuidarmos deste nosso lar.

    Falemos da água, este líquido tão precioso e indispensável à sobrevivência do reino animal e vegetal.

    No Jornal Zero Hora de 03 e 04 de fevereiro de 2018 li um artigo da
    Dra. Cristina Bonorino (imunologista e pesquisadora) sobre a água e o perigo da mesma vir a falar. O título é DESPERDÍCIO. Disse ela na ocasião, que em abril de 2018 a Cidade do Cabo, na África do Sul, será a primeira metrópole do mundo a ficar sem água, pois as campanhas feitas para economizar foram fracas e não deram o resultado esperado (não sei se já aconteceu esta previsão feita por cientistas). Conta ainda, o caso na Califórnia do Sul, onde após cinco anos de seca, o prefeito da paria de Carlsbad, iniciou uma batalha que duraria um quatro de século para a construção de uma estação de dessalinização da água do mar. Usou tecnologia de empresas de engenharia da Califórnia e de Israel. Conseguiu, e até hoje fornece 10% da água local. A campanha para economizar água continua por lá.

    Outros artigos sobre o tema foram da professora Neide Piran, mostrando o desperdício e o envenenamento das águas e o que podemos e devemos fazer para evitar este problemaço de nível mundial.

    Outras reportagens e estudos nos mostram dados: o nosso planeta é composto de 2/3 de água, sendo que apenas 1% é potável. O Brasil concentra 12% de toda oferta mundial desta água que provém dos aquíferos, o que nos deixa a sensação de que nunca nos faltará o precioso líquido.

    Aqui no Brasil, até 2016 foram desperdiçados o equivalente a sete milhões de piscinas olímpicas entre roubos, fraudes e o desleixo com os vazamentos, leia-se falta de conservação com as tubulações.

    Nosso oceanos estão coalhados de lixo plástico, que mata baleias, tartarugas, enfim, afetam toda uma cadeia de vida marinha.

    Nós, humanos, arrogantes, mas néscios e mal educados achamos que os bens recebidos como as águas, as florestas, o ar, o fantástico reino vegetal, são bens infinitos, duráveis e que deles podemos desfrutar sem paga nenhuma, e a prova está no nosso dia a dia, nas atitudes de desrespeito, jogando lixo em qualquer lugar seja nos mananciais, nas matas, no terreno do vizinho...

    Acontecimentos ocorridos aqui no Brasil, recentemente, como em Minas Gerais e no Pará com as mineradoras que contaminam os lençóis freáticos, devem e PRECISAM servir de alerta as autoridades para que tomem providências sérias a esse respeito.

    Diz ainda, a Dra. Bonorino: “Porque elegemos pessoas desqualificadas perpetuando um sistema em que a gestão é ilusória e o descompromisso é real? Precisamos escolher políticos com formação técnica e científica, experiência administrativa e conhecimento de economia.”

    É possível?

    Um poeta inglês, nos idos de 1600 já dizia: “Não acuse a Natureza, ela faz a parte que lhe cabe. Agora, faça a sua!”

    Gaby Garbin Mársico

  • Erechim, uma bela e diferenciada cidade

    Conhecia Erechim superficialmente por várias passagens desde a segunda metade da década de 1980, quando aqui pernoitava, após rodar cerca de 800 kms vindo de São Paulo, capital onde eu residia para chegar a Uruguaiana, minha cidade natal

  • 104 anos de sabedoria e trabalho constante

    O ser humano nasce e aos poucos vai escrevendo sua história. Como um cometa que ao passar deixa seu rastro, todos desenham seu caminhar, brilhante ou opaco.

  • O que uma ambientalista pode desejar para sua cidade centenária

    Ao receber a jornalista Najaska do “Bom Dia” tive a oportunidade de responder a uma questão muito significativa nesse momento de comemorações do centenário de Erechim: “O que você deseja para Erechim?”

  • Nove meses para fazer o que precisa ser feito

    Fazer o que precisa ser feito. Esse comando político guiou o governo de José Ivo Sartori até este momento e, nesta etapa de mudanças administrativas da gestão, continuará nos guiando. Isso significa que precisamos seguir em frente, evitando a zona de conforto, para viver ativamente a virada de um ciclo histórico da vida política, econômica e social do Rio Grande - independente das adversidades que o caminho apresente e das medidas que ainda se fazem necessárias.

  • Não nos pertencemos: uma concepção acerca da doação de órgãos

    Sempre que ouvia ou lia sobre um incentivo à doação de órgãos tinha vontade de escrever sobre isto. Circula no meio televisivo uma propaganda sobre o tema que achei maravilhosa mostrando o quanto bem fazem as famílias que doam órgãos dos seus entes queridos, permitindo a continuidade da vida de outrem.

Blog dos Colunistas

Publicidade

Horóscopo

Touro
21/04 até 20/05
A Lua nova ocorre no setor doméstico e familiar dos...

Ver todos os signos

Publicidade