Euro R$ 3,74 Dólar R$ 3,31

Publicidade

Blog de Gleison Wojciekowski

Música

Gleison Wojciekowski

Gleison Juliano Wojciekowski é pianista, regente e professor. Atuou no curso de Música da Universidade de Passo Fundo; foi diretor e vice-diretor da escola Municipal de Belas Artes Osvaldo Engel; e é membro da Academia Erechinense de Letras.

Gleison é mestre em História para Universidade de Passo Fundo; mestrando em Musicologia pela Universidade de Santa Catarina; possui graduação em Música – Habilitação em Piano pela Universidade de Passo Fundo (2007); licenciatura em Música pela mesma universidade; e graduação em Informática pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (2002).

Já ministrou aulas de música em diversas instituições de ensino superior, como Unoesc (SC) e Famper (PR). Atuou como maestro da Orquestra de Câmara da Universidade de Passo Fundo e atua na Orquestra Belas Artes, além de tocar ao lado do acordeonista Oscar dos Reis, com quem gravou um DVD.

  • Giorgio Corradi: o amor e a música

    Por Gleison Wojciekowski
    Foto Arquivo

    Giorgio Corradi: o amor e a música

    Giorgio Corradi nasceu em 19 de abril de 1928, na cidade de Cremona, na Itália e veio para o Brasil 1935 (então com sete anos de idade), juntamente com seus pais Amedeu Corradi e Vitorina Mafé Corradi, e um irmão mais jovem (no Brasil nasceria mais um filho do casal).

    A mãe de Giorgio era professora, fato que proporcionou lhe o contato com um ambiente cultural diferenciado, podendo ter acesso a récitas de ópera e concertos, mesmo que não fosse uma família rica.

    Seu pai por sua vez, trabalhava no escritório da fábrica de pianos Anelli di Cremona (que viria fabricar os órgãos eletrônicos Farfisa e acordeons). Vale lembrar aqui que Cremona é a cidade natal de Antonio Giacomo Stradivari (1644-1737), um dos mais importantes luthiers da história, o que ilustra o ambiente cultural da cidade que Giorgio vivia.

    No Brasil sua família se instalou inicialmente em Erval Grande, lá permanecendo até 1939, quando veio para Erechim.

    Iniciou seus estudos ainda na Itália em 1934, mas em Erechim estudou no Colégio Medianeira, na primeira turma de ginásio da cidade em 1941, o qual concluiu em 1945. Seguindo posteriormente, para a cidade de Porto Alegre, para o Colégio Rosário, onde cursou o técnico em contabilidade entre os anos de 1946 até 1948.

    A música esteve presente da vida de Giorgio Corradi desde sua infância quando ouvia canções em uma rádio da família, sendo uma das poucas opções de lazer na época, despertando a paixão por essa arte em seu coração. Paralelamente aos seus estudos, fazia aulas de canto e participava de coros.

    Durante o período que estudou no Colégio Medianeira, Giorgio participou do coro, que apresentava todos os domingos na missa das 10 horas na antiga Catedral São José um repertório de cantos sacros em latim. Nesse período o coro era regido pelo irmão marista chamado Genésio, que passava nas salas de aula em busca de talentos, e através de pequenas canções, selecionava os alunos com maior musicalidade. Giorgio foi selecionado e cantou no coro durante todo o período (5 anos) que estudou na instituição.

    Em Porto Alegre Giorgio também participou do coro do Colégio Rosário (durante cerca de dois anos), que tinha como regente o maestro Gervásio (por coincidência irmão do regente do coro do Colégio Medianeira). Nesse período realizou diversos solos nas apresentações do grupo.

    Ainda em Porto Alegre, estudou canto com Themíria D´Azevedo Barros (professora de bastante renome na década de 1940 no Rio Grande do Sul), culminando com uma apresentação no Teatro São Pedro em 30 de setembro de 1948, apresentando a canção Mama.

    Com o falecimento de seu tio, Giorgio teve que assumir a direção da Empresa Madeireira da família, na qual ficou por mais de cinquenta anos e apesar da sua paixão pela música nunca pode tornar-se um profissional.

    Durante todo esse período Giorgio continuou fazendo música nas horas livres, cantando em diversas ocasiões como por exemplo, na inauguração da Rádio Erechim em 2 de fevereiro de 1947, quando foi acompanhado pelo pianista Oswaldo Engel na canção La Strada Del Bosco.

    Giorgio Corradi casou em 1951 com Helena Corradi com quem teve dois filhos Carlos Corradi e Claudete Corradi. Seu casamento durou sessenta anos até o falecimento de sua esposa.

    Mesmo sendo um empresário e atuando como músico amador, Giorgio cantava juntamente com músicos importantes do período como Nininho Vasconcelos, Pedrinho de Souza, Irmã Clarice Holtz, Oswaldo Engel, Ernesto Kreische além do maestro Frederico Schubert.

    Cantou durante vinte anos no Coro Misto São José, sob a regência da maestrina Irmã Clarice Holtz (que era auxiliada pela Irmã Consolata) até a extinção do grupo, e no Coro do Gilé (o qual foi fundador), por mais de trinta anos sob a regência do barítono Nei Miolo.

    Giorgio Corradi também cantou em casamento durante muitos anos, e dentre outros, é possível citar o casamento de nosso atual prefeito Luiz Francisco Schimdt, momento que foi acompanhado pela irmã Clarice ao piano.

    Além de cantar Giorgio Corradi também é compositor, com dezenas de obras, que despretensiosamente foram criadas em função de emoções vividas durante sua vida. Algumas dessas obras foram registradas em um CD autoral, intitulado Emoções, lançado em 2014, com a produção musical de Sérgio Intkar e masterização de Ireno Wojciekowski. Algumas das poesias de suas canções também foram registradas em um livro, chamado de Pequena Coletânea de Emoções, lançado pela Edifapes em 2014.

    Giorgio Corradi lançou seu segundo CD em 2017, com gravações históricas de sua vida, que incluem sua apresentação no Teatro São Pedro (1948) e na inauguração da Rádio Erechim (1947) além de músicas gravadas recentemente, intitulado simplesmente de Emoções.

Publicidade

Blog dos Colunistas

Publicidade

Horóscopo

Libra
23/09 até 22/10
A fase lunar nova ocorre no setor de metas e...

Ver todos os signos

Publicidade