Euro R$ 3,89 Dólar R$ 3,31

Publicidade

Economia

Erechim segue com saldo positivo no Caged

Por Najaska Martins - najaska@jornalbomdia.com.br
Foto Arquivo BD/Najaska Martins

Indústria e serviços mantêm retomada de postos de trabalho enquanto comércio e construção civil recuam nas vagas

O cenário de geração de empregos segue positivo em Erechim. Em março o município registrou saldo de 14 vagas de trabalho com carteira assinada, resultado de 1.274 contratações e 1.260 desligamentos. Com isso, o município já soma 260 vagas de trabalho formal em três meses consecutivos sem saldos negativos.

Os dados fazem parte do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) elaborado pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e divulgados na última quinta-feira (20). Os números mostram uma retomada em relação a 2016, quando o ano encerrou com 2.756 desligamentos a mais do que admissões. Em 2017, os três primeiros meses contabilizaram 3.685 admissões e 3.425 desligamentos.

Empregos por setor

O destaque positivo segue com a indústria, que fechou o último mês com saldo de 105 postos de trabalho, diferença de 393 admissões ante 288 desligamentos. No acumulado de 2017 o setor registra saldo de 281 vagas. O setor de serviços também encerrou março com números positivos: foram 373 admissões, 322 demissões, resultado em saldo de          51 empregos. O setor de serviços industriais de utilidade pública também se manteve com mais contratações do que desligamentos, registrando saldo de 2 postos de trabalho em março e 156 vagas desde o início do ano.

Na contramão destes resultados, os setores de construção civil e comércio juntos contabilizaram saldo negativo de 142 vagas de emprego formal. No primeiro, foram registrados em março 158 contratações e 239 desligamentos, portanto, saldo de -81 postos de trabalho. No comércio a movimentação foi de 339 admissões e 400 demissões, ou seja, saldo negativo de 61 empregos com carteira assinado.

No acumulado do ano o comércio foi a área com o maior saldo negativo, contabilizando -152 vagas de emprego formal. Os números remontam a dificuldade de retomada no setor, que segundo a presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Erechim, Lindanir Canelo, afirmou em entrevista ao Bom Dia no último mês, costuma ser “o primeiro a sentir os efeitos da crise e o último a se recuperar dela”.

Os demais setores mantiveram a baixa movimentação na geração de empregos em Erechim. Na agropecuária foram 6 admissões e 7 desligamentos e no setor de extrativa mineral foi registrado um único desligamento. Juntos, ambos contabilizam saldo negativo de 2 vagas.

Leia também

Publicidade

Publicidade

Blog dos Colunistas