Euro R$ 3,74 Dólar R$ 3,16

Publicidade

Erechim

Mãe de detento

Por Leandro Zanotto leandroz@jornalbomdia.com.br
Foto Leandro Zanotto

“Apesar de todos os erros que se comete nesta vida nunca pensei em abandoná-lo”

O Dia das Mães no Presídio Estadual de Erechim será um dia de visita tradicional. Segundo a administração, este será um dos dois dias, que além de um adulto, duas crianças podem entrar para visitar quem está preso no seja,  já está cumprindo sua pena ou aguardando um parecer do poder Judiciário. O público visitante esperado é de mais de 300 pessoas.

A entrada dos visitantes ocorre sempre às 13h20, eles têm pouco mais de quatro horas e meia para matar a saudade e colocar a conversa em dia. Na fila do último fim de semana, que segundo administração da cadeia deverá ser idêntica neste domingo (14), muitas mães e filhos. Mesmo antes da data, os familiares já aguardavam sua vez, muitos motivados por uma máxima, explicada por mim por uma destas mães, que aguardava ao lado do marido para visitar o filho. “Uma mãe nunca abandona seu filho, por pior que seja o erro dele”, comentou.

Mãe

Na fila, encontro dona Claudete, que revela procurar sempre visitar o filho, condenado em 2015 a mais de 16 anos de prisão, por homicídio. “Nunca tinha passado por isso, eu tenho seis filhos, nenhum tinha sido preso, mas infelizmente aconteceu. No início foi difícil, mas hoje a gente procura entender e sabe que ele está pagando sua dívida com a Justiça”, comenta a idosa de 68 anos.

Ao lado do esposo, ela conta que espera ansiosa o dia em que o filho deve deixar a prisão. “Quando aconteceu, entrei em choque, mas me reestabeleci e fui para delegacia para ficar sempre ao lado dele, como estou até hoje e todo o fim de semana procuro visitá-lo”, lembra a ex - confeiteira.

Filho

Do lado dentro dos muros da prisão, o filho detido há cinco anos, trabalha como chefe na cozinha. Aos 42 anos, o ex-metalúrgico - mesma profissão de seu pai, atualmente aposentado - se diz arrependido do crime cometido em 2013 e confessa emocionado que é muito grato pelo apoio que recebe da mãe e da filha. “Elas sempre vêm me visitar, nunca falharam um fim de semana” relata.

Com apenas um crime em sua ficha policial, praticado por um desentendimento, o filho de dona Claudete, conta que a força da mãe o ajudou a seguir em frente. “No início ela trazia comida para mim, sempre pediu para lavar minha roupa, se preocupa que eu fique bem aqui, então eu só tenho a agradecer por ela estar sempre comigo”, destacou.

Fila

De volta à fila, dona Claudete conta que o convívio com outras mães, na mesma situação que ela é semanal. “Vejo e converso com muitas mães, algumas que falam em até não vir mais ao presídio, mas eu penso diferente e tenho a dizer para todas as mães, que tem filhos na mesma situação que eu, que não desistam e tenham muita força e fé em Deus, pois a família é o principal para aqueles que são bons saiam dessas”, destaca.

Com uma sacola em mãos, aposentada conta que procura sempre levar mimos para o filho, na busca de animá-lo. “Além da roupa, levo sempre algo para ele comer, apesar de ele me dizer que não precisa eu levo ao menos um chocolate”, explica Claudete.

Dia das Mães

Ao falar do Dia das Mães, dona Claudete, que confirma que irá visitar o filho no Presídio Estadual de Erechim, mostra no olhar seu maior desejo. “Sempre muito difícil, o que eu mais quero é ver ele novamente ao lado dos meus outros filhos, nos feriados como o Dia das Mães, Natal, Páscoa, aqui em casa, como sempre passamos nessas datas”, pontua.

O encontro de mãe e filho, não pode ser registrado por câmeras e nem acompanhado por pessoas que não são da família, segundo a Susepe, que explica tomar essas medidas por segurança. Mas dona Claudete, explica que a visita de Dia das Mães, será cheia de abraços, beijos e muitos conselhos. “Como sempre eu procuro conversar muito com ele, peço para que seja forte quem em breve ele vai voltar para casa. Todos somos passíveis de erros, ninguém está livre desta tragédia. Eu nunca vou abandonar meu filho e sei que todas as mães de verdade me compreendem, é preciso ter muita fé, algo que procuro sempre manter, assim como a força”, finaliza.

 

 

Leia também

Publicidade

Publicidade

Blog dos Colunistas