Euro R$ 3,74 Dólar R$ 3,13

Publicidade

Geral

Na primeira mensagem aos fiéis em Fátima, papa pede concórdia entre os povos

Por Agência Brasil
Foto Divulgação - Agência Brasil

Na primeira mensagem aos fiéis que o aguardavam em Fátima para as comemorações do centenário das aparições da Virgem Maria, o papa Francisco pediu “concórdia entre todos os povos”, convidando-os a “lavar os pés na mesma mesa que une a todos.”  A multidão foi estimada em cerca de 300 mil pessoas. As cerimônias deste fim de semana preveem também a canonização dos irmãos pastores Jacinta e Francisco, que, ao lado da prima Lúcia, tiveram a visão da Virgem no início do século passado.

O papa Francisco chegou nesta sexta-feira (12) à Base Aérea de Monte Real, em Portugal, no horário previsto – 16hs30 – para uma visita de apenas 23 horas ao país. Quarto papa a visitar Fátima, Francisco foi recebido pela cúpula governista, tendo à frente o presidente Marcelo Rebelo de Sousa. No ano passado, assim que tomou posse, Rebelo foi ao Vaticano visitar o pontífice.

Na base aérea, depois de cumprimentar o primeiro-ministro Antonio Costa e o presidente da Assembléia, Ferro Rodrigues, e de um encontro reservado com Rebelo, o papa embarcou em um helicóptero militar em direção ao Estádio de Fátima. No centro do campo, Francisco tomou o papa móvel, que o levou à Capelinha das Aparições. O trajeto foi percorrido lentamente, com o papa acenando à multidão, que, desde cedo, ocupou as vias de acesso ao Santuário para vê-lo e aclamá-lo.

Quando o papamóvel surgiu no Recinto do Santuário, os sinos repicaram, levando os fiéis a saudar o papa Francisco com gritos de alegria e entusiasmo. Cantando e rezando, num coro estimulado pelos alto-falantes, as pessoas levantaram bandeiras multicoloridas de diversos países e de grupos de peregrinos de diferentes origens. O percurso não demorou mais de 15 minutos, até que o carro papal estacionou frente à Capelinha das Aparições.

Usando batina branca, Francisco desceu, cumprimentou os religiosos que o cercaram e entrou na capela onde, de pé, frente à imagem da Virgem de Fátima, rezou em silêncio durante cerca de 10 minutos.
Enquanto o papa rezava, todo permaneceram em silêncio. Em seguida, Francisco dirigiu-se à multidão e, em português, pediu a “concórdia entre todos os povos”, convidando-os a “lavarem os pés na mesma mesa que une a todos.”

Foi uma breve e singela cerimônia, após a qual o pontífice embarcou novamente no papamóvel para se recolher à Casa de Nossa Senhora das Dores, onde jantaria e pernoitaria, mas a multidão permaneceu no local. Somente por volta das 21h30, o papa regressaria ao Santuário para a Procissão das Velas.

Organização

A organização das cerimônias comemorativas do centenário das aparições da Virgem de Fátima e da canonização dos pastorinhos Jacinta, Francisco e Lúcia, que tiveram as visões, foi cuidadosa, tanto para os peregrinos quanto para as autoridades, jornalistas e convidados.. Cerca de 1.700 jornalistas, sendo 1.300 de Portugal, foram credenciados para as comemorações do centenário de Fátima. –.400 vieram de 32 países, incluindo os 72 que acompanharam Francisco na viagem entre Roma e Monte Real-Roma. Eles pagaram 1.738,15 euros, mais 30 euros pela documentação para a viagem.

Montada em uma grande tenda, ao lado da altar principal, em frente à Basilica, a sala dos jornalistas proporciona aos profissionais de imprensa uma visão privilegiada e oferece toda a estrutura necessária ao trabalho. Com facilidade, os jornalistas podem entrar e sair para observar o que se passa no recinto do Santuário, sem tumulto ou atropelos. Alguns órgãos de imprensa preferiram montar suas próprias redações, em um total de 25 espaços distribuídos pelas Basílicas de Nossa Senhora do Rosário e Centro de Imprensa.

Leia também

Publicidade

Publicidade

Blog dos Colunistas