Euro R$ 3,89 Dólar R$ 3,31

Publicidade

Política

Homenagem resgata a história do Colégio Estadual Haidée Tedesco Reali

Por Assessoria de imprensa
Foto Divulgação

A história de 60 anos do Colégio Estadual Haidée Tedesco Reali, marcou a sessão solene da Câmara de Vereadores de Erechim. A homenagem proposta pelo vereador Alderi Oldra (PT), ocorreu na noite de sexta-feira (6) e foi prestigiada pela direção, professores, alunos e amigos da instituição de ensino fundada no ano de 1957.

Em seu pronunciamento, Oldra citou uma frase do livro O Pequeno Príncipe para ressaltar a importância da homenagem que lotou o plenário do Legislativo Erechinense. "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas". O citação serviu de base para o discurso que refletiu sobre quando uma pessoa cria laços afetivos entre pessoas, entidades e instituições.

"E é assim senhoras e senhores presentes nesta noite de homenagem, que o Colégio Estadual Haidée Tedesco Reali ,trabalha há 60 anos com seus alunos, professores funcionários. Estes que, cada um a seu modo, fizeram a história deste educandário".

Contextualizando sobre o tema Erechim 100 anos, que tem seu início no próximo mês, oportunidade em que se estará resgatando os feitos de nossos antepassados, Oldra ressalta que a história do Colégio Haidée, deve ser adicionada na linha do tempo do município."Afinal, 60 anos é um bom tempo para colecionarmos histórias, feitos, vitórias e termos a satisfação de já ter formado milhares de jovens que por estes bancos escolares já passaram", destacou o vereador.

História  

O Colégio Estadual Haidée Tedesco Reali  foi criado no dia 07 de fevereiro de 1957 e era reconhecido como Grupo Escolar 14 de Julho. Em 1959 passou a chamar-se Grupo Escolar Haidée Tedesco Reali em homenagem à primeira professora e primeira delegada de Educação de Erechim, professora Haidée Maria de Loudes Tedesco Reali, filha de Teodoro Tedesco e Maria Aglas Tedesco.

Em 1962 iniciava suas atividades como escola industrial de Erechim, que logo passou a ser chamada de Escola Técnica Industrial e Ginásio Industrial Dr. Salvador Caruso Mac Donald. Encerrou suas atividades em 1976, sendo ocupada pelo Colégio Estadual Haidée Tedesco Reali. No primeiro ano, na escola industrial funcionavam os cursos de Mecânica de Automóvel, Construção Civil, Arte Culinária, Corte e Costura e Bordado.

A partir de 1968, a escola industrial, que só oferecia ensino no período diurno, começou a operar também à noite, elevando sua matrícula de 700 para 1.100 alunos. Possuía equipamentos, ferramentaria, instalações de ótima qualidade e em quantidade para suportar o aprendizado de seus alunos.

Diversas tentativas foram realizadas para transformar o ginásio Industrial em escola de segundo grau. Funcionavam no educandário, cursos de formação de 240 horas, como pedreiro, eletricista de automóvel, eletricista enrolador, desenhista mecânico, plantista de móveis, desenho industrial e outros.

Devido ao esforço de professores e comunidade escolar, o Colégio Estadual Haidée Tedesco Reali, cresceu surpreendentemente, acompanhando o progresso e o desenvolvimento de Erechim. No início o colégio atendia também a pré-escola. Atualmente conta com 80 professores e 18 funcionários e atende 500 alunos do ensino fundamental; 278 do ensino médio; 86 dos cursos técnicos de eletrotécnica e mecânica diurno; 162 alunos do ensino técnico noturno em contabilidade, eletrotécnica e mecânica, além da parceria com Senai, totalizando de 1.074 estudantes. 

Filosofia

O Haidée tem por filosofia a educação e formação Integral da pessoa humana, articulando educação e trabalho. A integração família/escola e comunidade está representada pelo trabalho do Círculo de Pais e Mestres, Clube de Mães, Grêmio de Alunos, Grêmio de Professores e Conselho Escolar, muito atuantes e comprometidos com a instituição. 

"Após três décadas de parcerias com o Senais/Erechim e a construção de uma linda história na formação profissional, a partir de 2018 os cursos técnicos em eletrotécnica e mecânica serão responsabilidade de atendimento do Colégio Haidée.  Dessa forma, o desafio da comunidade local e regional aumenta ainda mais. A comunidade escolar, a Frente Parlamentar desta casa, o poder Executivo e o setor empresarial, têm uma missão de garantir que os cursos técnicos permaneçam no Haidée com a garantia do governo do Estado, oportunizando aos jovens e adultos, cursos gratuitos e de qualidade", justificou Oldra.

O orador garantiu em se pronunciamento, que esta será uma missão da comunidade local e regional para garantir aos jovens e adultos cursos profissionalizantes públicos, gratuitos e de qualidade. Desta forma, o Haidée  tem procurado proporcionar ao educando condições para a sua formação integral. "O trabalho da Escola é voltado para a grandeza da cidade de Erechim. Nossa história é ampla e transcende os limites do tempo, desde sua criação até os dias atuais".

"A participação de todos os envolvidos permite esta história de 60 anos para prosseguir e continuar preparando jovens cidadãos. Lembrando os 18 diretores e diretoras que, juntamente com suas equipes de professores, funcionários e comunidade escolar, construíram uma caminhada de muitas conquistas. O nosso reconhecimento à atual equipe diretiva da escola, que procura desenvolver uma administração dinâmica e participativa e é formada, hoje, pelos professores Darlan Dinorvam da Rocha (diretor); professora Leonice Refatti (vice diretora manhã); professora Potira Delazeri (vice diretora da tarde) e  professora Márcia Camerini Alves (vice diretora da noite)", pontuou 

Em nome da escola falou o atual diretor, Darlan Dinorvam da Rocha, que agradeceu o momento histórico, compartilhado com os alunos, professores e funcionários que, cada um a seu modo, colaboram com  engrandecimento da  história do do Colégio Estadual Haidée Tedesco Reali .

Leia também

  • Oposição segue no comando do Legislativo

    Rafael Ayub do PMDB deve ser o novo presidente da Câmara de Vereadores de Erechim

  • Amau realiza assembleia de prestação de contas

    Presidente do Tribunal de Contas participou da atividade em Erechim

  • Lançada frente parlamentar sobre o câncer na mulher

    Com a proposta de ser um fórum permanente de debates, especificamente, para tratar questões do câncer de mama e do câncer do colo de útero no Estado do Rio Grande do Sul, foi lançada na terça-feira (12), a frente parlamentar sobre o câncer na mulher na Assembleia Legislativa, presidida pela deputada estadual Liziane Bayer (PSB). A cerimônia de instalação da frente, que tem na vice-presidência o deputado Edu Oliveira (PSD), na ocasião representado por sua assessora Carla Slongo, ocorreu no salão Júlio de Castilhos reunindo representantes de entidades como a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama) e o Instituto da Mama RS (Imama), e apoiadoras da causa. Em nome da Femama e do Imama/RS, a presidente das entidades, Maira Caleffi, ressaltou que a estrutura contribuirá para que um grupo de deputados dedique sua atenção para o câncer da mulher, buscando sanar dificuldades que comprometam agilidade e qualidade do diagnóstico e tratamento da doença. Também foram presenças a vice-presidente do Imama, Beatriz Moser, a gestora de marketing Samsara Nyaya Nunes e as voluntárias da instituição. A representante da Secretaria Estadual da Saúde, Nadiane Lemos disse que o trabalho da frente, a partir do levantamento de dados a ser feito, fortalecerá o serviço do Estado na melhoria e qualificação do atendimento. A presidente da frente, deputada Liziane Bayer - autora da Lei Outubro Rosa RS - destacou a alegria de poder oportunizar o canal de discussão para o tema ao encontro do que se propõe o Legislativo gaúcho enquanto casa dos grandes debates.

Publicidade

Publicidade

Blog dos Colunistas