Publicidade

Cultura

Família fala sobre os últimos dias de Giovane Brisotto

Erechinense protagonista do filme “O Sentido da Vida” faleceu no último domingo, aos 31 anos

giovane
Por Najaska Martins - najaska@jornalbomdia.com.br
Foto Divulgação

Erechinense protagonista do filme “O Sentido da Vida” faleceu no último domingo, aos 31 anos

 “Ele embarcou nesta viagem em busca do sentido da sua vida, mas na verdade acabou mostrando o verdadeiro sentido da vida para todos nós”. A frase escrita pela irmã, Daniele, resume o sentimento da família Brisotto, que perdeu neste fim de semana Giovane de Sena Brisotto, o erechinense protagonista do filme “O Sentido da Vida”. Ele faleceu no domingo (18), aos 31 anos, vítima de paramiloidose familiar, uma doença rara e incurável, conhecida como “doença dos pezinhos”. Em entrevista ao Bom Dia, os familiares revelam que seus últimos dias foram em sua casa, em Erechim, cercado de muito amor.

A história de Giovane ficou conhecida após ele ter aceitado o desafio de dar a volta ao mundo como protagonista do filme “O Sentido da Vida, de autoria de Miguel Gonçalves Mendes e produzido pela O2 Filmes. Na obra, o jovem Giovane, na iminência de um transplante de fígado, apesar de suas limitações, aceita o convite de traçar a mesma rota daquela que se supõe ter sido a primeira viagem a disseminar a doença há 500 anos.  A decisão do jovem erechinense de participar do filme se dá quando este já apresentava sintomas da doença, como a falta de sensibilidade ao frio e ao quente. “Tendo em conta os riscos da cirurgia, decide dar uma volta ao mundo numa clara ânsia de viver. No filme, Giovane assume o papel de cidadão comum, um jovem do interior do Brasil, que procura respostas para as suas dúvidas existenciais e tenta conhecer o mundo antes que chegue a hora da sua fatídica cirurgia”, consta na descrição do personagem, no site do filme.

A viagem durou seis meses durante o ano de 2015, quando o erechinense percorreu 13 países. Nesse período o objetivo do documentário era promover um questionamento da existência através das indagações de Giovane. “Em sua jornada, na busca de respostas para as suas questões existenciais e para o sentido de sua vida, ele irá revisitar a história da humanidade, traçando novas perspectivas, relacionando fenômenos e buscando novas respostas para velhas questões. Para descobrir O Sentido da Vida iremos olhar o mundo através da perspectiva singular deste jovem brasileiro que tem tudo a perder, inclusive a sua própria vida”, resume a descrição da obra.

O percurso de Giovane foi interrompido em virtude de uma infecção, que o fez retornar ao Brasil. Em setembro daquele ano, o jovem passou por um transplante de fígado e, já recuperado, chegou a retomar gravações, sendo acometido novamente por uma infecção, dessa vez no rim. De volta à terra natal e cercado de cuidados, Giovane surpreendeu a família, que pôde perceber o quanto a obra – que já tem vários materiais disponíveis – tocou a vida das pessoas. “Giovane sempre foi uma pessoa meiga e querida por todos. Sempre pensando no bem-estar dos outros antes do dele mesmo”, descrevem. “Entretanto não imaginávamos que o documentário atingiria tantas pessoas, mesmo antes de ser lançado, e que sua história tocaria tantas vidas, mesmo aqueles que não tiveram a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente. Giovane relatava frequentemente que recebia mensagens de pessoas de diferentes lugares do mundo inspiradas em sua coragem e determinação”, pontuam os familiares.

Apesar de saber do grande alcance que a obra teria, os familiares dizem ter ficados surpresos com a repercussão. “Sabíamos que o documentário seria importante, mas não tínhamos ideia da dimensão que tudo isso alcançaria. E esperamos que após ser lançado muitas outras pessoas possam ser impactadas pela sua linda história de superação. Giovane embarcou nesta viagem em busca do sentido da sua vida, mas na verdade acabou mostrando o verdadeiro sentido da vida para todos nós. Este é o legado do nosso herói”, pontuou Daniele de Sena Brisotto.

Sobre o Sentido da Vida

Com estreia prevista para este ano, o filme O Sentido da Vida mostrou Giovane na procura de respostas para as suas questões existenciais. Paralelamente ao curso da viagem, o espectador é confrontado com o cotidiano de sete figuras públicas: personagens emblemáticas da contemporaneidade.  Um juiz controverso, um líder religioso, um político ambientalista com uma história de vida única e singular, um músico respeitado, um ator influente, um escritor premiado. Pessoas comuns transformadas em ícones e personagens/estrelas que influenciam a vida de multidões.

As filmagens do projeto obedeciam a um ritmo próprio. O roteiro englobava uma aventura de oito meses partindo de São Paulo, atravessando a Europa, mergulhando no continente africano pelo Nilo, cruzando o Oriente Médio, Índia, Sudeste Asiático, China e Japão, de onde se segue para os EUA e, Antártida, destino final, o qual não foi possível ser concluído.

Homenagem dos produtores do filme

O escritor Valter Hugo Mãe que junto a Giovane participou das gravações do filme, fez uma homenagem ao jovem, em nome de toda a equipe de produção. “Havia uma imensidão impressionante no olhar do Giovane. Talvez fosse pelo seu modo silente, uma forma madura de esperar, que o víamos posto em mistério. Num instante, o rapaz cordial de Erechim era um amigo e o rosto inevitável para “O Sentido da Vida”, documentário épico que sonhou salvar sua vida.

O Giovane de Sena Brisotto deixara de sentir os pés, começara já a andar um pouco esquisito, meio esquecendo as pernas, como se houvesse uma hesitação em cada passo. A paramiloidose, descobríamos todos, subia. Ascendia por seu corpo igual a sombra levantada do chão.

Todos nos comovemos em segredo com o Giovane. Encontrámo-lo em diversos pontos da sua viagem, que o levou do Brasil a Portugal, Malta, Tibete ou Japão. Todos nos comovemos porque, durante a festa que podia haver nas filmagens, sabíamos que ele lutava contra a morte, conhecendo os maiores especialistas do mundo, quantas vezes vulnerabilizado e precisando de cuidados urgentes.

Hoje, o rapaz cordial de Erechim morreu. Ainda que soubéssemos estar a fazer um filme acerca de como entender a vida, essa vida que nos vai trair a qualquer momento, não poderíamos nunca conceber que o nosso querido Giovane sucumbisse. O filme, produção gigante, era também uma estratégia para o levar aos melhores e interceder para que fosse cuidado e salvo. O filme haveria de salvar o Giovane.

Hoje, o sentido da vida regressa inteiro ao seu mistério. E nós, mais sozinhos, já não perdemos um colega de trabalho, perdemos um amigo. Ainda que para sempre sobre em nós aquela imensidão, o coração é-nos um lugar mínimo, aflito. Existe apenas o bastante para enviarmos à família do Giovane os nossos sentimentos e nossa profunda gratidão por o haverem partilhado connosco. Ele virou nossa família também.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas