Publicidade

Rural

Missão à Ásia traz resultados concretos ao agronegócio

Por Governo do RS
Foto Divulgação

A missão oficial à Ásia e ao Oriente Médio, coordenada pelo secretário executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Eumar Novacki, que contou com a participação do secretário da Agricultura, Pecuária e Irrigação do Rio Grande do Sul, Ernani Polo, retornou com ótimos resultados das visitas a Coreia do Sul, Singapura, Indonésia, Malásia e Emirados Árabes Unidos (Dubai). Nesta quinta feira (22), Ernani Polo apresentou o balanço da missão a entidades do setor produtivo do RS.

A missão teve como objetivo negociar a abertura de mercado para produtos do agronegócio brasileiro, bem como promover contatos comerciais entre empresários brasileiros e investidores. Acompanharam a missão o diretor do Departamento de Negociações Não Tarifárias, Alexandre Pontes; o diretor do Departamento de Promoção Internacional de Investimentos, Evaldo da Silva Júnior; o coordenador-geral de Apoio Técnico Administrativo, Thiago Vinícius Pinheiro da Silva; e empresários do setor agropecuário.

Coreia do Sul

Em reunião no Ministério de Segurança Alimentar e Medicamentos (MFDS), Eumar Novacki ressaltou a intenção em melhorar a relação com o país, reafirmando a necessidade de a Coreia do Sul finalizar com rapidez o processo para liberação de importação de carne suína do Brasil. O governo coreano deve enviar missão ao Brasil em março, e já iniciou a análise para comercialização de carne bovina, manifestando interesse também em frutas. O ministro coreano afirmou faltar algumas respostas sanitárias por parte do Brasil para a finalização do processo de liberação da importação de carne suína. O secretário Ernani Polo também ressaltou a possibilidade de ampliar a exportação de frango, bem como negociações com ovos, lácteos, frutas e arroz.

Singapura

Eumar Novacki falou sobre a qualidade da carne brasileira em encontro no Ministério da Agricultura de Singapura. Também ressaltou o lançamento do programa de Compliance, que visa à conformidade com regras claras. O representante do Mapa solicitou que as exportações para Singapura sejam retomadas, tendo em vista que há 20 plantas aguardando autorização/habilitação para exportação.

Indonésia

O ministro da Agricultura da Indonésia, Andi Sulaiman, afirmou que vai importar carne bovina do Brasil. Com uma população de 265 milhões de habitantes, a Indonésia cresce 5% ao ano, tem média de consumo de carne bovina de 3 quilos por pessoa/ano, o que abre um grande potencial de consumo do produto. O Brasil pode apoiar a Indonésia não apenas fornecendo carne de alta qualidade a preços competitivos, como cooperando na área de genética bovina, melhoramento de pastagens, cruzamentos industriais e exportação de animais vivos para confinamento, propostas apresentadas em reunião com o diretor de Pecuária e Saúde Animal, I Ketut Diarmita.

Malásia

O ministro-chefe do Departamento de Desenvolvimento Islâmico (Jakim), Seri Jamil Khir Bim Baharom, confirmou missão oficial malaia ao Brasil, provavelmente em junho, para habilitar plantas desabilitadas e novas. O Jakim é o órgão responsável pelo abate Halal na Malásia, e reuniu-se com autoridades certificadoras do Brasil para ajustar as exigências para viabilizar a habilitação de plantas.

Em reunião com o vice-ministro da Agricultura da Malásia, Antony Nogeh Anal Gumbek Noegh, foi reafirmada a cooperação entre os países para qualificação da produção. Ernani Polo falou sobre a possibilidade de comercialização de produtos lácteos e ovos, e ressaltou a intenção de intercâmbio em pesquisa com o Instituto Riograndense do Arroz (Irga), visando a preencher nichos de mercado na Malásia.

Emirados Árabes

O diretor-geral de Investimentos do Ministério da Economia dos Emirados Árabes Unidos apresentou à comitiva brasileira um portfólio de investimentos na região. Também foi feito convite para participação oficial do Brasil na AIM Anual Investiment Meeting, de 9 a 11 de abril. A feira terá 141 países, com foco em investimento nas mais diversas áreas, sendo a pauta da agricultura e dos alimentos um dos principais tópicos.

“Tenho convicção de que realizamos uma missão muito proveitosa, com resultados concretos para exportação de carne bovina e encaminhamentos para comercialização, em um breve período, de carne suína. Também abrimos caminho para o aumento nas exportações de frango e para o início de negócios com ovos, lácteos e frutas. Temos um grande mercado na Ásia e precisamos estar lá com frequência, pois só assim teremos relações estreitas e reais possibilidades de avanços”, destacou Ernani Polo.

“A missão foi bem sucedida. Agora, é preciso dar continuidade e celeridade nos por menores dos acordos firmados, para que saiam do campo das ideias e se concretizem em transações comerciais bilaterais, de modo que os países se beneficiem e as relações se estreitem cada vez mais, de maneira amistosa e cooperativa”, avaliou Eumar Novacki.

Marcos Jank, consultor em agronegócio e especialista na Ásia, ressaltou que a missão teve resultados positivos como, por exemplo, a confirmação da abertura do mercado da Indonésia para a carne bovina brasileira. "A Indonésia é o quarto país mais populoso do mundo, à frente do Brasil. Temos de estar presentes de forma regular e proativa na Ásia - a região mais dinâmica do mundo e nosso principal destino no agronegócio", relatou.

Publicidade

Blog dos Colunistas