Publicidade

Geral

Que tal um peixe?

Comercialização pode ser ampliada em Erechim

PEIXE FEIRA.jpg
PEIXE FEIRAaa.jpg
Por Edson Castro
Foto Divulgação

Começou nesta terça-feira (27), a comercialização na Feira do Peixe Vivo, localizada junto à Feira do Produtor, em Erechim. A expectativa é que, aproveitando a Semana Santa, mais de 30 toneladas de pescados possam vendidas.

Carpas, pacus, traíras entre outras espécies podem ser encontradas pelos consumidores da cidade e também da região. Segundo dados da Emater, no Alto Uruguai, é esperado vender mais de 80 toneladas nesta semana, gerando negócios acima de R$ 1 milhão.

A Páscoa, pela Semana Santa, é sempre um motivo a mais para ampliar a venda de pescados. Mas a Secretaria de Agricultura de Erechim, quer criar outro incentivo para toda a cadeia, desde o produtor ao consumidor: quer viabilizar ao menos uma Feira do Peixe Vivo por mês na cidade.

O secretário Leandro Basso informou esta semana que o objetivo é fomentar a produção de peixes e criar opções de vendas além da Páscoa. "Hoje estamos auxiliando cinco propriedades a se profissionalizar e poder ter todos os registros sanitários e bem estar animal, para poderem realizar a comercialização em feiras de peixes vivos", destaca Basso.

Segundo ele, há espaço para a produção no município e a meta é fazer com que os produtores interessados, possuam toda a estrutura necessária para poder fazer as vendas.
Basso diz ainda que reuniões tem sido realizadas neste sentido e o próximo passo é um encontro com a Associação Gaúcha de Aquicultores.

Vendas na feira
A Feira do peixe Vivo em Erechim tem funcionamento até a próxima quinta (29), entre às 7h e 19h, junto a Feira do Produtor, no centro da cidade. Na sexta-feira (30), o atendimento vai somente até às 12h.

Vonei Kuskoski, produtor autorizado a fazer as vendas, diz que a expectativa é positiva. "O fato de termos mantidos os valores praticados no último ano serão um atrativo. Esperamos manter ao menos a venda de 2017, quando chegamos a 30 toneladas", aponta.

Isair Mariani foi até a feira na manhã desta terça e fez sua compra para a Sexta-feira Santa. Para ele, as preferências de pescados estão entre carpas e traíras. O modo de fazer, é o que menos importa: "gosto de peixe, tanto faz se assado, recheado, frito", explica.

Ele está dentro do perfil da iniciativa da Secretaria de Agricultura de Erechim, de ter mais vendas de peixes ao longo do ano no município. "Lá em casa o consumo de peixe vai além da Semana Santa, acontece durante todo o ano", completa Mariani.

Vale lembrar que não é permitido abate de peixes na feira em Erechim. O peixe é entregue vivo ao consumidor.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas