Publicidade

Rural

Lavouras de soja estão com 35% da área cultivada colhida no RS

Apesar das chuvas abundantes em algumas regiões, colheita avançou rapidamente durante a última semana

soja.jpg
Por Assessoria de Comunicação
Foto Divulgação

A colheita da soja avançou rapidamente durante a última semana, apesar de algumas chuvas mais abundantes em determinadas regiões, como na Central. De acordo com o Informativo Conjuntural, divulgado esta semana, neste momento o percentual de área colhida chega a 35% do total plantado, com mais 40% prontos para colheita.

No início da safra, as lavouras apresentaram produtividades elevadas, atendendo às expectativas dos produtores. À medida que a colheita avançou para cultivares implantadas mais para o final do período de plantio e para cultivares com ciclo mais longo, as produtividades começaram a diminuir.

Segundo os técnicos, essa queda na produtividade da cultura da soja pode estar associada à ocorrência de doenças de final de ciclo, principalmente a ferrugem asiática, e a períodos de poucas chuvas no estágio de enchimento de grãos. Esses fatores também aceleraram o ciclo da cultura, provocando a antecipação da maturação e comprometendo, em parte, o enchimento de grãos.

A colheita do milho segue sem maiores percalços, atingindo 83% da área plantada nesta semana. À exceção de alguns poucos casos pontuais de áreas plantadas mais "no tarde" e que enfrentaram deficiência hídrica durante a fase de floração, as produtividades mantêm-se em níveis satisfatórios nas regiões mais ao Norte, apesar dos problemas enfrentados pelas regiões da Campanha e Sul.

Os produtores de arroz concentram suas atenções nos trabalhos da colheita que avançou, favorecida pelas condições meteorológicas registradas durante a semana. O percentual está próximo da média dos últimos anos, que é de 45%, para esta época. A região da Fronteira Oeste segue como a mais adiantada, com boa parte dos municípios alcançando percentuais que ultrapassam os 70%.

Nos Campos de Cima da Serra, que cultiva feijão numa faixa intermediária entre as safras, a colheita teve uma leve estagnação, em decorrência das condições climáticas de chuvas frequentes e alta umidade, que não permitem a operação de colheita. Os produtores estão apreensivos com a possibilidade de alguma redução na qualidade dos grãos em função desse longo período de umidade e temperatura relativamente alta, que propicia a germinação do grão antes da colheita, que já ultrapassa os 55%.

As lavouras de feijão 2ª safra evoluem rapidamente para o estágio reprodutivo e colheita nas áreas plantadas no cedo, mantendo bom desenvolvimento fitossanitário. Em algumas regiões, a diferença climática ocorrida especialmente na última semana, com dias quentes e noites frias, prejudicou o desenvolvimento em áreas pontuais. Na região Noroeste teve início a colheita das primeiras lavouras da safrinha, mas boa parte da área ainda se encontra em formação de vagens.

Em Novo Machado está ocorrendo a semeadura da aveia branca em áreas onde foi colhida soja precoce, mas neste momento se visa a produção de palhada para a cultura do milho e da pastagem para bovinos de leite. O mercado de sementes está aquecido devido à formação das pastagens de inverno.

A cultura deverá receber pequeno incremento na área cultivada, devido à possibilidade de redução da área de trigo, a qual deverá ser implantada para grãos e cobertura de solos no inverno. Está aberto o período para o encaminhamento de custeio das lavouras de canola, que se apresenta como alternativa aos produtores que estão em busca de cultivos em substituição ao trigo.

Publicidade

Blog dos Colunistas