Publicidade

Erechim 100 anos

Pili: História de dificuldades, determinação e superação!

IMG_5016.JPG
IMG_5024.JPG
IMG_5029.JPG
Por Rodrigo Finardi
Foto Rodrigo Finardi

Com 39 anos de mercado, empresa familiar mostra que a união supera qualquer obstáculo. Na foto os irmãos Márcia e Givani com a foto do pai ao funfo, Girgio Pili, que veio da Itália e quem criou a empresa 

 

 

Fundada em 1979, a Pili Hidráulicos Ltda, iniciou suas atividades em Erechim, sendo pioneira em realizar os serviços de coleta e entrega de equipamentos hidráulicos aos clientes. Atendendo aos três Estados do Sul do País, a Pili realiza visitas periódicas aos clientes até hoje, com seriedade e responsabilidade.

Marcia e Giovani, proprietários, contam um pouco dessa história de dificuldades, determinação e superação, com muita emoção.

Em 1952 seu avô Giovanni Pili veio da Itália, alguns anos após a Segunda Guerra Mundial, em busca de uma vida melhor no Brasil. Trouxe com ele três filhos pequenos, sendo um deles Giorgio Pili, pai de Márcia e Giovani. Quando chegou ao Brasil foi trabalhar em uma empresa que incentivava a imigração, oportunizando emprego aos imigrantes, mas como o empreendedorismo sempre foi nato na família Pili, saiu da empresa e montou uma oficina de bicicletas para o sustento da família. Foram anos de grande dificuldade, em que até pensaram em retornar à Itália, mas com persistência seguiram a pequena oficina.

Algum tempo depois, Giorgio foi trabalhar lá com seu pai e casou-se com Itacira Rosa. O amor e a união tinham de sobra em casa, mas os negócios não iam bem:

“O pai colocou uma oficina em casa para conserto de macacos, mal dava para sustentar a família. Foram momentos de extremas dificuldades, mas meu pai era um empreendedor e não desistia nunca.

Para ajudar no sustento, a mãe foi trabalhar em uma empresa que fazia cortinas e mais tarde começou a fazer em casa. Muitas vezes o dinheiro das cortinas era o único que tínhamos para bancar as despesas da casa. Na época ela queria que o pai largasse o trabalho informal e fosse trabalhar de carteira assinada para garantir um salário fixo mensal”.

Mas Giorgio tinha muitos planos e sonhos: “Ele era quase um Professor Pardal, dava um jeito em tudo e achava soluções para os problemas mais complicados. Tinha muita capacidade no que planejava, mas as dificuldades financeiras barravam seus objetivos. Com muito trabalho a mãe Itacira comprou o primeiro compressor, pois até então, ele pintava os macacos com máquina de flitz (aquelas de matar mosquito). As coisas foram melhorando e por várias vezes tentou montar uma indústria, até mesmo de polenteiras“, salienta.

Márcia conta, como seu pai não tinha dinheiro para ter estoque de material, ele mesmo produzia os reparos para consertar os macacos.

Então teve a ideia de sair em busca de serviços na estrada com uma Variant. Ele vendia, consertava, devolvia, cobrava. Foi se estruturando e contratou seu primeiro funcionário que fazia as viagens em busca de serviços.

Mais tarde (1982), Giorgio alugou uma peça na BR 153 no Bairro Aeroporto, pensando que com isso os caminhoneiros precisariam consertar seus hidráulicos, e deu certo. O espirito empreendedor crescia a cada conquista e seu sonho era ter um negócio para que seus filhos tivessem onde trabalhar. “Ele sempre disse que tínhamos que começar de baixo para saber de tudo de uma empresa, conhecer as dificuldades e valorizar as conquistas”, salienta a filha.  

 Marcia conta que quando fez 17 anos foi obrigada a ir trabalhar na pequena oficina. “Minha mesa ficava num corredor e quando chovia ia trabalhar com botas de borracha, pois alagava meu “escritório”. Não gostava daquele trabalho e sentia vergonha dos amigos, pois trabalhar em uma oficina não era nada agradável para uma menina. Hoje vejo o quanto foi importante para o meu crescimento profissional a insistência de meu pai, pois ele foi muito forte em me manter lá. Eu chorava todas as manhãs porque tinha que ir para aquele lugar horrível”.

“Eu e meu irmão, temos muito presente os ensinamentos de nossos pais. Se precisarmos varrer o chão de fábrica estamos lá. Essa é a nossa essência e jamais abandonaremos”.     

Esse momento da história da empresa foi fundamental para o que é hoje.

E em 1985 foi construída a primeira sede própria (onde hoje é a City Bons Amigos). A partir deste momento, após muitas provações, a empresa começou a tomar outro porte, já incluindo uma loja e oficina.

Marcia fez faculdade de Administração já convencida que seguiria os passos do pai.

Nesta época, Giovani começou a trabalhar com o pai e a irmã e começou a desmontar macacos, pois o pai não poupava os filhos dos ensinamentos fundamentais para um futuro crescimento.

Foram adquiridos ao longo do tempo, todos os conhecimentos do pai, e com esforço e dedicação seguiram aprimorando-os. Giovani também se formou em Administração de Empresas para que juntos pudessem fazer a empresa crescer.

Com toda a confiança adquirida pelos clientes, começaram a surgir interesses em fabricar equipamentos, e quando apareceu a oportunidade, foi fabricado o primeiro tombador. O vendedor Ernani Santin, que incentivou muito a criação da indústria, foi o responsável pela venda do primeiro tombador da Pili, estando até hoje na equipe Pili.

Em 2004 foi construída nova área para poder iniciar a fabricação de máquinas, e a indústria começou a dar certo.

 Em 2005 surgiu a Pili Industrial, do esforço dos irmãos Márcia e Giovani: “foi tão importante o trabalho desenvolvido pelo pai que o Giovani acabou fazendo Engenharia Mecânica para elaborar os projetos da empresa e alavancar os negócios”, ressalta Marcia.

Os ensinamentos do pai estão presentes nas ações dos filhos que estão à frente da empresa.

Ao longo de todo este tempo sempre valorizaram os colaboradores que participaram do crescimento: “ A Clarice Picoli Tremea, uma das primeiras funcionárias da Pili, está na empresa conosco desde 1986 quando mudamos para primeira sede própria e isto é muito gratificante para nós ”, finaliza Marcia Pili.  

Em 2012 a Pili Industrial ganhou sua sede e desde então, seu crescimento é constante.

Hoje, a empresa já está em sua terceira geração, com a participação da filha do Giovani, Nauini Pili, que cursa Engenharia Mecânica e participa da administração da empresa com a família, seguindo os princípios do avô.

A família Pili tem muito orgulho de participar da história destes 100 anos de Erechim, onde nestes 39 anos, esteve presente lutando e contribuindo para o desenvolvimento da cidade. Parabéns Erechim e a todos que fazem parte das conquistas de nossa região.

 

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas