Publicidade

Ensino

Curso de Filosofia da UFFS reflete sobre questões contemporâneas em Semana Acadêmica

Evento segue até sexta-feira (18) com o tema “Ética e Filosofia Política Contemporânea”. Comunidade regional pode participar

uffs - filosofia.jpg
Por Assessoria de Imprensa
Foto Wagner Lenhardt/Divulgação/UFFS

A filosofia está em tudo? Qual a função do filósofo na atualidade? Para quem não é da área, talvez essas sejam algumas das principais perguntas quando pensamos em uma área do conhecimento tão abstrata. Abstração, aliás, aceita nas próprias palavras de quem atua com a questão, tal como Lucas Dalssoto, doutor em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). “A Filosofia tem um caminho duplo a ser feito. De uma parte, ela tem uma certa ‘inutilidade’, no sentido de que ela é uma discussão abstrata, que não necessariamente nós precisamos estar toda hora dizendo algo a respeito da realidade. Existe esse viés. Mas, ao mesmo tempo, pensar a Filosofia somente como uma matéria abstrata não faz sentido no mundo tão complexo e tão plural que temos”, reflete Dalssoto. O pesquisador é um dos convidados da Semana Acadêmica de Filosofia, promovida por alunos da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Erechim e que segue até sexta-feira (18).

Talvez o grande desafio da área seja o de referendar-se como algo intrínseco a qualquer questão do nosso cotidiano. O tema da Semana Acadêmica deste ano pode sugerir isto: “Ética e Filosofia Política Contemporânea”. Para Dalssoto, “em alguma medida, a Filosofia não deve dizer algo à realidade, mas ela precisa, tal como qualquer outra disciplina, também fazer sentido para as nossas crenças e vivências, ou a que tipo de sociedade desejamos. A Filosofia também tem o seu papel importante do ponto de vista social”. Logo, nada mais prático e atual do que pensarmos sobre ética e política.

Convidado a abrir o evento ainda na segunda-feira à noite, Dalssoto ministrou uma palestra sobre noções básicas de metaética. “É um assunto pouco discutido no Brasil e, na área da Filosofia, algo ainda crescente e novo”, explica o palestrante. “Visa conhecer a que tipo de propriedades as pessoas se referem quando algo é bom ou correto. Afinal de contas, o que se quer dizer quando falamos que algo não deve ser feito? Essa é uma discussão com que a metaética se preocupa”.

Seria uma reflexão sobre a ética da ética? Dalssoto explica: “Dizemos que a metaética é uma discussão de segunda ordem. A ética visa dizer o que é correto. Por exemplo: correto é ajudar o próximo. Essa é uma norma da ética. Agora, quando eu digo que certo é ajudar o outro, a metaética visa descobrir o seguinte: esse juízo deve ser aplicado a todas as pessoas indiferentemente de culturas ou crenças? E, se isso for verdade, por quê?”.

Na terça-feira à tarde, o evento prosseguiu com um minicurso ministrado por professores da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Evandro Barbosa e Thais Cristina Alves Costa. O tema: motivação e obrigação na tradição do sentimento moral. Barbosa explica: “A pretensão do nosso minicurso, quando tratamos do problema da obrigação e motivação moral atrelada a uma teoria dos sentimentos morais, nada mais é do que observar o fenômeno moral, as questões morais do cotidiano, desde a questão mais simples até a mais complexa, de um ponto de vista de um sentimento moral”.

Apliquemos o assunto em uma situação mais prática. “Tratamos nossa ideia como um sentimento de simpatia. Nada mais é do que aquela nossa disposição natural para, por exemplo, nos sentirmos tocados por situações das mais simples possíveis. Quando você vê uma criança em uma situação de perigo, e você sente algum tipo de conexão com ela, basicamente isso poderia ser tratado como um sentimento moral, de empatia ou simpatia, que cria um tipo de conexão com essa pessoa. E esse tipo de conexão pode ser muito bem explorado dentro do cenário moral”, comenta Barbosa.

À noite, sua colega, Thais, falou aos alunos da UFFS sobre sua análise das ações afirmativas a partir do filósofo Ronald Dworkin. Em pauta em todas as instituições de ensino, as ações afirmativas receberam na Semana Acadêmica, assim, um olhar do ponto de vista de tal autor. “A minha proposta é de trabalhar questões extremamente contemporâneas, da nossa realidade brasileira”, fala Thais. “Pretendo mostrar como a filosofia lida com questões extremamente atuais de ética prática, e tentar trazer alguns outros elementos que vão agregar na nossa argumentação.”

Segundo a pesquisadora, há uma corrente mais purista, que acredita que trabalhar questões de ética prática pode não ser filosofia. “A minha proposta é exatamente mostrar como a filosofia vai tratar de questões da ética prática, e como ela vai agregar muito conhecimento e vai esclarecer muito do que discutimos. Aqui no Brasil discutimos poucos argumentos filosóficos quando falamos de ações afirmativas, eutanásia, aborto, suicídio assistido. Nós trazemos argumentos muitas vezes emocionais, sociológicos, do direito, mas deixamos a Filosofia um pouco aquém”, reflete Thais, que acredita que ainda é preciso, dentro da área, que os profissionais passem a se dedicar um pouco mais a questões do nosso país. “Bebemos das fontes principalmente europeias, mas pensamos muito pouco na nossa realidade e nos nossos problemas. Tentar fazer uma filosofia que ultrapasse as questões tradicionais, e tenha a ver um pouco mais com a nossa realidade, é um dos nossos desafios”.

 

O evento

A Semana Acadêmica da Filosofia é uma iniciativa dos próprios alunos do curso, que pensaram desde a temática até na organização propriamente dita. Os professores auxiliaram. Segundo Alcione Roberto Roani, um dos docentes, trata-se de uma oportunidade para que os acadêmicos da UFFS tenham contato com outras universidades, discutindo temas contemporâneos. “Além disso, também é reservado um espaço para apresentação de trabalhos. Tanto o curso quanto a Instituição tem dado todo o apoio para que os alunos possam desenvolver essas atividades, uma vez que são complementares à formação acadêmica”, fala o professor.

O evento é aberto tanto para a comunidade acadêmica quanto para a comunidade regional. As inscrições podem ser feitas no formulário que está disponível no site www.uffs.edu.br.

 

Programação do evento para os próximos dias

 

Quarta-feira, 16

14h – Continuação do minicurso “Motivação e obrigação na tradição do sentimento moral”, com os professores Evandro Barbosa e Thais Cristina Alves Costa (UFPel)

Local: Auditório do Bloco dos Professores

 

19h30 –Palestra: “Neocontratualismo e o problema da obrigação moral em Rawls e Scalon” com Prof. Evandro Barbosa (UFPel)

Local: Auditório do Bloco B

 

Quinta-feira, 17

19h30 – Palestra: “A tese Taylor-Warrender: uma leitura contemporânea da filosofia de Hobbes e seus problemas” com Prof. Clóvis Brondani (UFFS)

Local: Auditório do Bloco B

 

Sexta-feira, 18

19h30 – Comunicações das produções acadêmicas nas salas 304 e 305 do Bloco B.

Publicidade

Blog dos Colunistas