Publicidade

Segurança

Tribunal julga tentativa de homicídio qualificado

Por Da redação
Foto Kaliandra Alves Dias

A partir das 9h20 desta quinta-feira (7), o Tribunal do Júri da Comarca de Erechim irá julgar dois réus de uma tentativa de homicídio qualificado. De acordo com a denúncia apresentada pelo Ministério Público, baseada no inquérito da Polícia Civil, Giovani Correa de Lima (30) e Luciano Sperb Mallmann (32) são suspeitos de tentar matar Gilsinei Soares de Santos.

O crime ocorreu em 30 de agosto de 2009, por volta das 15h, na Rua Três Passos, no Bairro São Vicente de Paula, em Erechim. De acordo com o inquérito, a vítima transitava em via pública, quando se deparou com os réus. Motivados por desentendimentos anteriores, acertaram Gilsinei com cinco golpes de facada.

Durante o interrogatório realizado na fase de instrução processual, Giovani Correa Lima utilizou-se do direito constitucional de permanecer em silêncio. Em seu depoimento, o réu Luciano Sperb Mallmann declarou que na data dos fatos, “caminhava pela rua acompanhado por seu primo Giovani Correa de Lima, quando Gilso (Gilsinei Soares dos Anjos) chegou por trás e lhe atingiu com uma facada – na altura da nuca. Tal facada lhe atingiu de raspão. Ao ser atingido na nuca, virou rapidamente e já foi atingido por uma segunda facada, a qual acertou logo acima de sua testa – tendo acertado sua cabeça. Como Giovani saiu correndo, Gilso o perseguiu e deixou ali (…). Não conversou com Giovani sobre o ocorrido. Giovani não estava armado e nem portava faca nesta data. Acredita que Giovani tenha tomado a própria faca de Gilsinei – e com ela o atingido (…). No dia anterior, por volta das 20h, quando chegava em casa do trabalho, avistou uma “briga” em frente a casa do Josué – enteado do Gilso. Giovani e Josué estavam trocando socos, mas não foi ao local e não se envolveu (…). Acredita que por causa desta briga Gilso tenha lhe atacado”.

Em sua declaração, a vítima Gilsinei Soares dos Santos, disse que, na noite anterior ao crime, seu enteado, Josué Fernando de Moura, foi agredido pelo réu Giovani. No dia seguinte, ao encontrar Giovani na rua, o qual estava acompanhado de Luciano, foi tirar satisfação sobre o ocorrido, momento em que foi atingido por uma paulada na cabeça, a qual fora desferida pelo acusado Luciano. Na sequência, quando estava no chão, Giovani efetuou os golpes de faca. Asseverou que: “Giovani levou, direcionou a faca na direção de seu pescoço e quando ele ia lhe esfaquear, Délcio, vulgo baixinho, acelerou e jogou seu carro em direção a Giovani, que se assustou e saiu correndo”.

Publicidade

Blog dos Colunistas