Publicidade

Geral

Qual o futuro da ferrovia em Erechim?

Por Rodrigo Finardi
Foto Rodrigo Finardi

Esta semana, na quarta-feira (6) o diretor técnico da secretaria de Obras e Habitação de Erechim Harrysson Testa e o representante do legislativo, vereador Ale Dal Zotto participaram de uma reunião na empresa RUMO em Curitiba (empresa que detém a concessão da ferroviária que passa em Erechim – malha sul) com Marcelo Fieder (gestor governamental) e a advogada Giana Custódio.

Testa e Dal Zotto foram sanar dúvidas sobre essa concessão e obtiveram a informação que a mesma vai até 2027, mas tem a intenção de novo contrato até 2057. A questão dos invasores, quais as responsabilidades da RUMO, do Dnit e da Secretaria de Patrimônio da União (SPU) quando se fala da malha sul.

O compromisso firmado é que a empresa virá para Erechim no final do julho quando deverá ser apresentado relatório sobre as responsabilidades de cada um. Um dos pedidos foi negado pela empresa que é o estudo de viabilidade para transportes de cargas na ferrovia, que só será feito após a renovação da concessão.

Nessa conversa inicial o município de Erechim com auxílio da RUMO deverá ter a responsabilidade de realizar um projeto e encaminhar para o Ministério da Cidades para a realocação dos beira-trilhos, questão que ser acordado com o prefeito, mas algumas questões já estão em andamento no Ministério Público Federal.   

Ficou acertado que será criado um grupo de trabalho com todas as instituições envolvidas e resolver as questões sociais para depois realizar a restauração da Estação Ferroviária, autorização de transporte de passageiros, criar uma ciclovia e academia ao ar livre e projetar expectativas de turismo interligando os municípios que passam a ferrovia.  

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas