Publicidade

Região

Comunidades de Charrua são beneficiadas com horto medicinal

ER Charrua horto medicinal.JPG
Extensionista Roseli Bonessor orienta.JPG
Extensionistas Roseli e Vilmar Tonello orientam produtoras.JPG
Por Assessoria
Foto Terezinha Vilk/Divulgação

Visando à promoção da saúde de forma alternativa, com o uso de plantas medicinais, a Emater/RS-Ascar de Charrua vem trabalhando, juntamente com as comunidades, na implantação do projeto de hortos medicinais, utilizando a metodologia do Relógio do Corpo Humano. Neste sentido, mais um horto comunitário foi implantado na comunidade de Linha Pedras Baixas, com apoio da comunidade Fogaça, cujas famílias são usuárias do Plano Socioassistencial executado pela Emater/RS-Ascar, em parceria com a Prefeitura.

O horto foi implantado na propriedade do casal Rita e Maximiliano Cyzewski, que cedeu um espaço. Nesta quarta-feira (06/06), o Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar de Charrua realizou uma atividade de oficialização do horto, com a participação das duas comunidades beneficiadas. Também participaram a primeira-dama Dirce Della Betta, as integrantes do Centro de Referência Assistencial (Cras), Franciane Paula Galli e Graziela Boff, a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Vilma Rebelato, e a assistente técnica regional social da Emater/RS-Ascar, Fernanda Tacca Angonese.

Os extensionistas Vilmar Tonello e Roseli Lazzarotti Bonesso agradeceram a presença e participação das duas comunidades que acreditaram e apoiaram o projeto, bem como a Secretaria Municipal da Saúde e os demais presentes. “O projeto com as plantas medicinais visa os cuidados com a saúde preventiva e vem em consonância com a Política Pública Federal de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, que está inserida no Sistema Único de Saúde (SUS) desde 2006”, lembrou a extensionista.

Roseli explicou o processo de instalação do horto, ressaltando que as plantas medicinais dispostas na metodologia do relógio baseiam-se no uso tradicional e no conhecimento científico, correlacionadas aos órgãos conforme a ação terapêutica de cada planta. “A Emater vem trabalhando no sentido de resgatar o conhecimento e o uso das plantas medicinais com a finalidade terapêutica, a fim de contribuir com a qualidade de vida no meio rural”, complementou. Ela também explicou sobre as formas de identificação das plantas, o correto preparo e ingestão dos chás, bem como a utilização das plantas na elaboração de xarope, pomadas e tinturas, entre outras formas de uso.

As participantes destacaram a importância da atividade para troca de experiências e conhecimentos. A primeira-dama agradeceu a Emater/RS-Ascar, a família que cedeu a área e as famílias envolvidas no projeto. Dirce Della Betta disse que a prefeitura também trabalha com o projeto de implantação de um horto municipal.

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais também parabenizou os envolvidos e ressaltou a importância de fazer a prevenção. E a assistente técnica regional social da Emater/RS-Ascar destacou a importância da troca de conhecimento e de experiência.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas