Publicidade

Ensino

Aluna da Unisinos tem artigo aprovado em evento internacional

Por
Foto Divulgação

Formação médica humanística foi tema do trabalho da aratibense Lara Matté que será apresentado na Coreia do Sul

O trabalho de uma aratibense, estudante do curso de Medicina na Unisinos, será apresentado neste ano em um evento na Coreia do Sul. Lara Matté produziu um artigo em que o foco de seu estudo foi a formação médica humanística. “Vejo esse tema com alta relevância na nossa formação como profissionais da área da saúde, onde o ouvir o paciente, conhecer o local em que está inserido e a realidade que ele é exposto, interfere no processo saúde-doença”, destacou a aluna.

O artigo será apresentado durante a 22ª Conferência Mundial de Médicos de Família, em Seul. O encontro é um dos maiores eventos de Medicina de Família no mundo e reúne especialistas, como professores, pesquisadores e profissionais, que trabalham na área da saúde. A ideia de trabalhar com o assunto surgiu enquanto Lara cursava a atividade acadêmica de Interação Indivíduo Comunidade - Saúde da Família, ministrada pelo professor do curso de Medicina da Unisinos, Elson Farias. A disciplina se desenvolve por três semestres, e propõe a entrada do aluno no cenário de prática da rede de atenção à saúde, por intermédio da atenção primária à saúde e equipes de saúde da família, do município de São Leopoldo.

Lara conta que a disciplina coloca os estudantes em contato com os pacientes, desde o início do curso, possibilitando que os alunos trabalhem seu poder de resolução, autonomia e protagonismo. O professor Elson conta que Lara destacou-se nas atividades com a família que ela atendeu e conseguiu ir além do esperado. “A estudante ajudou a mãe com o bebê pequeno com informações pertinentes e necessárias para o desenvolvimento e segurança da família”,

Mãe orgulhosa

A mãe de Lara, Márcia Matté, que atua no Centro Hospitalar Santa Monica, não esconde o orgulho pela filha e pelas suas escolhas voltadas à saúde pública. “Estou muito feliz e orgulhosa da Lara, por ter saído de Aratiba, de uma escola pública, aos 17 anos para morar em Porto Alegre sozinha. Passou em Medicina com muita luta e estudo depois de 3 anos de cursinho. Em São Paulo, na Faculdade das Américas já foi para os bairros trabalhar com população mais humilde E voltava contando que toda essa desigualdade social, aquela realidade mexia muito com ela. Acompanhava o médico do posto de saúde no atendimento aos pacientes”, relembra.

Márcia conta ainda que a volta de Lara para o Sul se deu no ano passado, quando ela foi aprovada na Unisinos, motivada pelo custo de vida em São Paulo e pela distância da família. “Ela veio para a Unisinos e já de cara se identificou com a saúde da família. Lá ela conheceu Sarai, que estava gestante e tinha diabetes, obesidade e fez seu acompanhamento, que acabou resultando no trabalho que foi selecionado. Também acho que a transformação da sociedade passa pela educação e conhecimento de seu povo, e então quando a Lara foi solicitada pelo professor a escrever este artigo, incentivei e ajudei, pois acho que precisamos de profissionais médicos mais voltado para a saúde pública, que defendam o SUS, e sem dúvida trabalhar estas questões na formação é imprescindível”, completa.

 

Publicidade

Blog dos Colunistas