Publicidade

Ensino

Secretaria Estadual de Educação inicia semana de mobilização do dia D da Nova Base Curricular

Na sexta-feira (6) pela manhã, os alunos não terão aulas, já que o os professores farão trabalho interno sobre o novo currículo

educação infantil.jpg
Por Ascom Seduc
Foto Divulgação

A Secretaria da Educação (Seduc) inicia a semana de mobilização para o segundo Dia D da Nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC). O encontro, que ocorre na sexta-feira (6), será dedicado para o debate das competências e normativas da Nova Base, além da construção do Referencial Curricular Gaúcho, que terá, entre quinta (5) e sexta-feira (6) sua plataforma digital aberta novamente. Na sexta-feira pela manhã, os alunos não terão aulas, já que o os professores farão trabalho interno sobre o novo currículo.

Após se cadastrarem no site, os educadores das redes estadual e municipal, e de escolas privadas, podem oferecer sugestões de assuntos a serem trabalhados no novo currículo, a ser implementado a partir de 2019.

De acordo com a diretora do Departamento Pedagógico da Seduc, Sônia Rosa, o período de contribuição dos professores, na plataforma digital do Referencial Curricular Gaúcho, se encerrou no dia 30 de maio. Entretanto, entre quinta e sexta, a plataforma estará disponível novamente para que os professores façam uma reflexão coletiva sobre o tema. “Teremos um segundo dia de mobilização que vai aprimorar as contribuições que já foram destacadas. É muito importante que todos participem deste processo, que norteará os currículos das escolas estaduais, municipais e privadas a partir de 2019”, explica.

A etapa seguinte ocorre até o final do mês de julho, quando ocorrem audiências públicas sobre o tema, com a participação de toda a comunidade escolar do Rio Grande do Sul.

 

Sobre a BNCC

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) foi homologada em 20 de dezembro de 2017 para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental. A BNCC serve como referência para a construção e adaptação dos currículos de todas as redes de ensino do país. As redes e escolas seguem com autonomia para elaborar, por meio do currículo, metodologias de ensino, abordagens pedagógicas e avaliações, incluindo elementos da diversidade local e apontando como os temas e disciplinas se relacionam. A BNCC e os currículos têm, portanto, papeis complementares: a base dá o rumo da educação, mostrando onde se quer chegar, enquanto os currículos traçam os caminhos.

 

Referencial Curricular Gaúcho

Para criar uma base comum curricular integrada entre as redes municipal, estadual e privada, a Secretaria da Educação (Seduc), por meio do Departamento Pedagógico, está buscando junto à União Nacional dos Dirigentes Municipais da Educação (Undime) e o Sindicato do Ensino Privado no Rio Grande do Sul (Sinepe/RS), a criação do Referencial Curricular Gaúcho. Com previsão de consolidação ainda em 2018 e implantação em 2019, o novo projeto visa a agregar temáticas regionais como história, cultura e diversidade étnico-racial, de forma complementar à Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Inicialmente, a ideia é de que estas mudanças ocorram na Educação Infantil e no Ensino Fundamental.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas