Publicidade

Segurança

Brigadianos salvam bebê em Getúlio Vargas

“Eles salvaram três vidas” ressaltou a mãe da criança ao reencontrar os policiais

001.jpg
Por Leandro Zanotto - tv@jornalbomdia.com.br
Foto Fernando Genro / TV BOM DIA

A tranquilidade de Rafael de dois meses, dormindo no colo da mãe Graciela, nem aparenta o tamanho do susto que o pequeno deu aos pais na noite da última terça-feira (3). A família estava em casa, no interior de Erebango, quando durante amamentação, o bebê se afogou e precisou ser socorrido, até o Hospital São Roque, em Getúlio Vargas. 

O fato só não se tornou uma tragédia, devido a ajuda de dois policiais militares, o sargento Valdenir Daronchi e o soldado Adriano Kruger. A dupla havia sido escalada poucas horas antes. Este seria o último dia de serviços prestados a corporação pelo sargento Daronchi, que após 28 anos se aposentou da Brigada Militar.

 

Os destinos do bebê e policiais, se cruzaram na entrada de Getúlio Vargas, quando o pai de Rafael, Dalvir Cardoso, parou a viatura e pediu socorro. Ele estava com a esposa e a criança, que já não apresentava sinais vitais. “Larguei tudo que estava fazendo, peguei o carro e fui para hospital. Era cerca de sete da noite, tinha muito movimento na estrada, graças a Deus encontramos a viatura. Foi quando minha esposa pediu para que eu os parasse”, lembrou Dalvir.

O primeiro a conversar com o pai foi o soldado Kruger. “Ele entregou o bebê para o sargento Daronchi, pediu para que nós ajudássemos, então, pedi calma a ele”, destacou o policial que estava há seis anos na corporação. 

Após pegar a criança o sargento começou a fazer os primeiros socorros. “Coloque ele de bruços e movimentei levemente para cima e para baixo, estava todo molinho e roxo, entrei na viatura e pedi para acelerar até o hospital. No caminho, segui fazendo o movimento e consegui colocar o dedo na boca do bebê, que a poucos metros do hospital, vomitou e voltou a respirar”, comentou o sargento.

Kruger, lembra que mesmo com a sirene ligada o trânsito estava intenso. “Chegamos um minuto antes da família no hospital. Lembro que quando o sargento entregou a criança para as enfermeiras, o bebê respirou fundo, me senti aliviado naquele momento. Vimos que ele estava vivo e tínhamos conseguido”, ressaltou. Kruger.

O bebê passou por exames médicos e após ficar em observação, foi liberado para retornar para casa na companhia da família, ainda na manhã de ontem (4).

Reencontro

A convite da reportagem do Bom Dia, os dois policiais reencontraram o bebê Rafael e sua família em casa, na tarde desta quarta-feira (4).  Fomos recebidos pelo pai e mãe do bebê que estava dormindo, mas ao perceber a chegada dos polícias, o pequeno acordou e abriu os olhos para conhecer melhor seus salvadores. “Eles salvaram três vidas, salvaram a minha família. Não sei como agradecer o que estes dois fizeram pela gente, só peço a Deus que os policiais sempre consigam fazer o bem para as pessoas, como fizeram por mim. Muito obrigado, muito obrigado...”, ressaltou a mãe Graciela, com o bebê no colo.

O sargento Daronchi, finalizou: “Não sei explicar o sentimento que sinto neste momento. Lembrei, das minhas três netas. Só acredito que foi Deus que me colocou naquele lugar para salvar este pequeno, bem no último dia de serviço. A gente também não tem palavras para descrever este momento inesquecível”, concluiu Daronchi, com Rafael no colo.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas