Publicidade

Ensino

Possível solução para problemas antigos no Sidney Guerra

Recurso de R$ 330 mil destinado à escola pelo Estado deverá ser investido em reestruturação das redes elétrica e hidráulica

Diretor mostra instalações elétricas que são antigas na escola, que completou 40 anos em 2018
Por Najaska Martins - najaska@jornalbomdia.com.br
Foto Najaska Martins

Recurso de R$ 330 mil destinado à escola pelo Estado deverá ser investido em reestruturação das redes elétrica e hidráulica

O governo do Estado anunciou no último mês o repasse de recursos para obras em instituições de ensino da rede estadual. Entre as contempladas está a Escola Estadual Sidney Guerra, localizada no bairro Aldo Arioli, em Erechim, que receberá um total de R$ 330 mil. A verba deverá ser investida na solução de problemas já antigos na instituição, com a reestruturação das redes elétrica e hidráulica.

Esta é a aposta do diretor da escola, Evandes Meneghetti, que recebeu há poucas semanas na instituição a visita de um engenheiro elétrico do Estado. Acompanhado de uma equipe, o profissional avaliou justamente os aspectos relacionados à rede elétrica da instituição. “Por termos recebido esta visita, pelo fato de o engenheiro e seus assistentes terem avaliado os problemas, acreditamos que a verba seja para este fim. Além disso, este é um problema antigo aqui na escola, que já há um bom tempo reivindicamos soluções e neste momento acredito que possa ser uma das prioridades”, destaca, ao salientar que a instituição também conta com problemas relacionados à rede hidráulica.

Luz no fim do túnel

Com uma área de mais de cinco mil metros quadrados de área construída, a escola completou em 2018 seus 40 anos de história. Em uma rápida visita pela instituição é possível perceber o quão antigas são as instalações elétricas. Há cinco anos, em 2013, a escola sofreu um incêndio que, na época, além de danificar salas administrativas, destruiu equipamentos e forçou a instituição a realizar as atividades letivas temporariamente em seu ginásio. Na ocasião, atribuiu-se o sinistro justamente a problemas com a rede elétrica. “Por ser uma escola bastante antiga, se faz necessária uma reestruturação de nossa rede para evitar que tenhamos problemas mais sérios já que temos fios expostos e até mesmo por uma questão de economia, pois seguidamente temos que trocar lâmpadas que queimam com frequência”, justificou.

Por ser uma reivindicação antiga da instituição, o anúncio dos recursos para a escola, segundo Evandes, “foi uma luz no fim do túnel”. “Da mesma forma que precisamos de soluções para a rede hidráulica, a reestruturação da rede elétrica é algo que gostaríamos que tivesse iniciado há um bom tempo. Quando soubemos da vinda desta verba vimos a possibilidade de ver este problema sanado”, pontuou. Entretanto, o diretor diz não saber para quando há previsão de início das obras.

Os recursos que serão recebidos pela Escola Sidney Guerra foram liberados em junho e fazem parte do montante de R$ 53,3 milhões do Programa Autonomia Financeira 2018, que vai beneficiar 349 escolas da rede pública estadual. As verbas são provenientes do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird) e do salário-educação. Os repasses vão direto para cada instituição de ensino e os recursos devem ser utilizados exclusivamente em reformas e ampliações.

Publicidade

Blog dos Colunistas