Publicidade

Geral

Asfalto BR 153: Será agora realidade? Parece que sim

“A região não pode perder a mobilização”.JPG
“Sem dúvida é uma conquista das lideranças regionais sem nenhum matiz partidário”.JPG
“Vai permitir a integração de todos e a circulação com mais facilidade das riquezas regionais”.JPG
Por Ígor Dalla Rosa Müller
Foto Ígor Dalla Rosa Müller e Rodrigo Finardi

Ato de autorização para licitação do projeto técnico da pavimentação da BR 153 (Transbrasiliana) foi realizado na manhã de sexta-feira (6) na UPF. A expectativa é que dentro de um ano se efetive a licitação do projeto e em 2020 inicie as obras

 

Com o auditório da Biblioteca Central da UPF, praticamente lotado, o público vivenciou um momento histórico para os municípios localizados entre Erechim e Passo Fundo. Na ocasião, foi realizado o ato de autorização para licitação do projeto técnico da pavimentação da BR 153 (Transbrasiliana), trecho entre as duas cidades. O evento aconteceu na manhã desta sexta-feira (6) na Biblioteca Central da Universidade de Passo Fundo (UPF). Gerações de trabalhadores, profissionais do campo e da cidade morreram antes de ver o asfalto preencher a rodovia federal. Há mais de 30 anos que as pessoas ouvem que a estrada será asfaltada. Será mesmo agora?

Ao olhar esse ato solene histórico é impossível não pensar em tudo isso e muito mais, e ter que lutar para não ceder à descrença que recai sobre as muitas promessas nunca cumpridas. E, principalmente, quando se está em véspera de eleição e se sabe que a ambição política nem sempre caminha na mesma direção que precisa o país. Quando o assunto é Transbrasiliana sobram histórias e problemas, que estão marcados na memória das milhares de pessoas que precisam passar todo dia nesse local.  

Comitê Executivo Pró-Conclusão da obra da BR 153

O presidente do Comitê Executivo Pró-Conclusão da BR 153 e reitor da UPF José Carlos Carles de Souza, ressaltou que esse é um trabalho coletivo envolvendo lideranças da região. “Estamos cumprindo a primeira etapa de tantas outras, para elaborar o projeto, e buscar os recursos para execução da obra. Esse é um importante passo que estamos entregando à comunidade”, explica.

“Hoje, estamos celebrando o fato do Dnit do RS ter assumido a responsabilidade de fazer a licitação do projeto dessa obra. Nosso foco deixa de ser uma pressão junto aos órgãos em Brasília para nos direcionarmos a superintendência do Dnit em Porto Alegre, a quem foi determinada a incumbência para licitar o projeto da obra”, observa.  

“Sem dúvida é uma conquista das lideranças regionais sem nenhum matiz partidário, é o conjunto da sociedade que se reuniu exatamente para buscar a execução de uma obra tão importante para a nossa região”, ressalta.

José Carlos destaca que a região não pode perder a mobilização, e o conjunto de lideranças precisa continuar unidos em torno do propósito que é a execução da obra. “Virão novas fases, licitação, busca por recursos, e na medida em que está incluída no orçamento do próximo ano do PAC, esta obra vai estar lá e terá que ter um valor no seu orçamento. Por isso que precisamos do projeto para dimensionar o custo da obra e incluir recursos para que seja executada na sequencia”, enfatiza.

E, acrescenta, o “importante hoje é celebrar a inclusão da obra no PAC do governo federal, bem como, o fato de estar aqui para se licitar o projeto”, salienta. A expectativa, conforme José Carlos, em função desse ano ser eleitoral, é que dentro de um ano haja a licitação do projeto e, em 2020, inicie a execução da obra.

Segundo o representante do Dnit Adalberto Jurach, a solenidade em Passo Fundo marca o início dos trâmites para o processo licitatório do projeto técnico de pavimentação da BR 153 (Transbrasiliana). Conforme ele, o trecho entre os municípios de Erechim e Passo Fundo tem extensão de 68,4 km.

Prefeito de Erechim

Para o prefeito de Erechim Luiz Francisco Schmidt, que estava presente no local, a integração regional facilita a circulação de riquezas e mercadorias. “A macrorregião ganha muito, diante do quadro da economia nacional que é muito turbulento. Termos uma região bem integrada é muito bom para todos”, enfatiza. Schmidt comenta que se a obra for executada, a estrada vai desafogar a RS 135 e será muito importante para toda a região. “Todos municípios que circundam essa estrada serão beneficiados. Vai permitir a integração de todos e a circulação com mais facilidade das riquezas regionais, agricultores e comerciantes vão poder oferecer seus produtos em mais cidades”, comenta.  

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas