Publicidade

Rural

Foto Rodrigo FinardiArquivo.JPG

Frio intenso beneficia fruticultura na região do Alto Uruguai

Por Assessoria
Foto Rodrigo Finardi/Arquivo

As lavouras de inverno com trigo, cevada e aveia estão plantadas. As culturas estão em fase de germinação e desenvolvimento vegetativo. A maior parte da área cultivada com aveia branca e preta é destinada para cobertura de solo com bom desenvolvendo para o período, segundo informativo conjuntural do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Erechim.

Fruticultura

A volta do frio, com temperaturas baixas, beneficia a fruticultura que se encontra na fase de dormência, de acordo com levantamento da Emater/RS-Ascar.  Em relação as videiras, seguem os tratamentos de inverno. Os produtores estão iniciando a poda nos pomares de caqui, pêssego, figo e maçã. Em relação ao morango, segue a colheita com frutos de boa qualidade. E novas áreas estão sendo cultivadas com morango.

A laranja valência, variedade mais plantada na região, vem sendo muito comercializada na região, embora não esteja devidamente madura. Preço médio de comercialização R$ 0,30 a 0,32, sendo de R$ 0,30 para os produtores que não possuem carregadores e R$ 0,32 para os que possuem. As laranjas de umbigo, bahia e monte parnaso, estão sendo comercializadas mais para a produção de suco.

 

Situação das criações

Apicultura: Este é um período de entressafra. No momento, os produtores não realizam muito manejo no inverno das colmeias, especialmente o alimentar. O mel está sendo comercializado com preço que varia de R$ 15,00 a 20,00 o quilo.

 

Bovinocultura de leite: As pastagens para cultivares de inverno estão com bom desenvolvimento vegetativo. Não há incremento no preço do leite. Preço médio de R$ 1,10/L.

Bovinocultura de corte: Mercado da carne em baixa na região. Os produtores tradicionais estão trocando a atividade pela cultura da soja, principalmente, nos municípios de Mariano Moro, Viadutos, Marcelino Ramos e Severiano de Almeida. Já nos municípios como Aratiba, Erval Grande, Barra do Rio Azul, os produtores têm mantido os rebanhos, incentivados pelo rodeio (leilão) que realizam anualmente para venda de terneiros. Preço com ligeira alta de R$ 4,50 a 5,20/kg de peso vivo – 30 dias.

O preço permanece estável para integrados. O quilo está sendo comercializado a R$ 2,80. O momento é difícil para a atividade. Para amenizar a situação, produtores buscam estão trazendo milho do Centro-Oeste a preços mais acessíveis que o da região.

 

Credito rural

Até o momento foram encaminhados 2.124 projetos de crédito na região do Alto Uruguai, totalizando R$ 57.722.135,00, a serem financiados no ano 2018, de acordo com levantamento do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Erechim.

 Os municípios que mais encaminharam projetos até o momento são: Sertão, Erval Grande, Erechim, Barra do Rio Azul, Barão de Cotegipe, Faxinalzinho e Paulo Bento.

 

Tabela de preços

Produto

Preço médio da semana R$

Observações

Soja

74,50 na pedra (+ 4,00) chegando a 78,50/sc

Preço Cotrel

Milho

33,00 a 35,00/sc

Preço Cotrel

Trigo

41,00/sc

Preço Cotrel

Leite

1,10/l

Preço médio ao produtor

Mel

15,00 a 20,00/kg

Preço produtor

Suínos

2,80/kg

Preço Cotrel

Bovinos corte

4,50 A 5,20/kg de peso vivo – 30 dias

Preço Cotrel

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas