Euro R$ 3,74 Dólar R$ 3,13

Publicidade

Economia

Comil anuncia readequações e fala em demissão coletiva

Por Larissa Paludo larissap@jornalbomdia.com.br
Foto Divulgação

Empresa com mais de 30 anos no mercado, a Comil Ônibus anunciou, através de nota divulgada à imprensa, que paralisou as atividades e os funcionários estão em licença remunerada desde ontem (29) até o dia 1º de setembro.

A empresa também informou que deverá adotar medidas para se adequar a atual recessão da economia brasileira. Entre elas, está a negociação com o Sindicato dos Metalúrgicos sobre a demissão de parte do quadro de funcionários. A empresa possui mais de 1,8 mil colaboradores.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Fabio Adamczuk, afirmou que recebeu o comunicado e que a entidade irá se reunir com representantes da empresa durante essa semana. O número de demissões que serão negociadas com o sindicato não foi divulgado.  A reportagem entrou em contato com atual presidente do Conselho de Administração da Comil, Deoclecio Corradi, que afirmou que a empresa se manifestará apenas através da assessoria de imprensa.

Segunda caso de demissão em massa em Erechim

A possibilidade de demissão coletiva por parte da Comil não é o primeiro caso em Erechim. A Intecnial realizou um desligamento em massa em maio, porém sem realizar negociação com os sindicatos. Em virtude disso, a Justiça do Trabalho de Erechim anulou as demissões na Intecnial e os funcionários voltaram ao trabalho.

Indústria: setor que mais sentiu as incertezas econômicas em 2015  

A Indústria da Transformação foi o setor que mais sofreu, na geração de emprego, com os reflexos da crise econômica, em Erechim, no ano de 2015. De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o número de demissões no setor correspondeu a quase 60% dos desligamentos totais em Erechim (-1960 vagas de emprego). O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados aponta que ao todo, na Indústria da Transformação, foram 4.387 admissões e 5.534 desligamentos, tendo como saldo: -1.147 vagas.

 Em 2016 o setor começou com saldo positivo de 27 vagas em janeiro, mas, ao longo dos meses, a situação foi se invertendo e até julho, o setor já acumula um saldo negativo de -129 vagas de emprego.

 

Confira a nota na integra

“A Comil Ônibus informa que, a partir desta segunda-feira, 29 de agosto, inicia um processo de reestruturação da empresa e de seu quadro de pessoal, necessário para adequar-se à atual situação do mercado interno. Tal medida é resultado da grave crise que o Brasil está enfrentando, com grande impacto no mercado de ônibus.Todos os funcionários, a partir desta data, até o dia 1º de setembro, estarão em licença remunerada em toda a sua jornada de trabalho. Enquanto isso, a empresa estará negociando com o sindicato o desligamento de parte de seu quadro de funcionários.A Comil lamenta se somar a outras tantas empresas que precisaram tomar esta difícil decisão. Mas reforça seu compromisso em fazer todos os esforços que estiverem ao seu alcance para diminuir ao máximo os impactos, mantendo o respeito e a seriedade que sempre teve com toda sua equipe, clientes, parceiros e fornecedores”.

Leia também

Publicidade

Publicidade

Blog dos Colunistas