Publicidade

Região

Ampliação do centro de referência na Usina de Machadinho acontece nesta quinta

O CRDS constitui um espaço de ensino não formal dedicado à formação socioambiental de crianças e adolescentes

Centro é frequentado por alunos do ensino regular de escolas municipais, com idades entre sete e 14
Por Assessoria de Imprensa
Foto Divulgação

A inauguração de mais dois blocos no Centro de Referência em Desenvolvimento Sustentável (CRDS) acontecerá na próxima quinta-feira (15), e também contará com uma soltura de peixes experimental da Usina Hidrelétrica Machadinho. O evento, está previsto para iniciar às 9h com coquetel de recepção, logo após acontecerá a inauguração, e por fim, às 11h a soltura de peixes.

O CRDS foi inaugurado em 2011, quando os blocos um e dois foram construídos em uma área rural de cerca de 25 hectares, doada pelo Consórcio Machadinho, a partir de um convênio entre prefeitura, Consórcio Machadinho, Instituto Alcoa e ENGIE (Tractebel Energia). Em 2015 foi iniciada sua ampliação, com a construção dos blocos três e quatro, que comportarão o atendimento de mais de 180 alunos.

O bloco três, oferecerá uma sala para realização de oficinas, tanto dos alunos que frequentam a unidade escolar como para grupos de visitantes e o bloco quatro, contará com um auditório, espaço para coffee break, cozinha e sanitários.

O CRDS constitui um espaço de ensino não formal dedicado à formação socioambiental de crianças e adolescentes. É frequentado por alunos do ensino regular de escolas municipais de Piratuba, com idades entre sete e 14 anos. Desde o início do projeto cerca de mil alunos já participaram das atividades oferecidas pela Escola Socioambiental e mais de três mil pessoas visitaram o centro desde que ele foi inaugurado.

O espaço tornou-se referência em sustentabilidade por meio de projetos e práticas sustentáveis – desde os tijolos ecológicos utilizados na construção de suas estruturas até a água destinada ao consumo, vinda da chuva. Em 2015 o Centro de Referência em Desenvolvimento Sustentável foi destaque na categoria Instituto de Pesquisa, sendo premiado no Prêmio Fritz Muller da Fundação do Meio Ambiente (FATMA).

Aproveitando este evento, em atendimento ao cumprimento a uma Condicionante da Licença de Operação acontecerá uma soltura de peixes no lago, conforme aprovação do IBAMA. Serão liberados alevinos de dourado e grumatão, produzidos a partir da reprodução de indivíduos da primeira geração de matrizes selvagens capturadas no alto rio Uruguai. Todos os peixes liberados receberão uma marcação química que produz uma marca fluorescente, visível sob microscopia UV, permitindo o acompanhamento dos resultados a partir das capturas feitas posteriormente.

 

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas