Blog do Igor Dalla Rosa Muller

Professor: tempo de recomeçar

Por Igor Dalla Rosa Muller

 

Fui citado, calma leitor não é em delação, nem pelo fusca 1979 e o Cartola (amigo canino), que não está inventariado. Mas acho que está na hora de falar um pouco sobre isto, para firmar o passo.   

É uma honra que os meus textos tenham despertado interesse de homem ímpar, por uma figura que muito admiro: o mestre Ernesto Cassol. Em minhas conversas de rua, bar e família, sempre citei Cassol como sendo talvez um dos últimos professores com erudição, um perfil em extinção. Profissional com elevado conhecimento teórico nas mais diferentes áreas.

Pois bem, estou muito longe disto, sou muito mais intuitivo. Mas uma coisa é importante dizer e deixar claro, aproveitando os comentários por ele feito às minhas colunas. Escrevo por minha conta e risco, e por aquilo que julgo certo. Agora, se o meu certo não é certo aí é outra questão.

Nestes anos como jornalista priorizei abordar nas colunas assuntos que contemplem o bem público, jamais política partidária ou coisa que o valha. Ações que tragam benefícios para o conjunto da sociedade. Escrever é uma tarefa solitária.

Caro Cassol, importante dizer que a crítica também tem ponto de vista, não está isenta de bandeiras e lados, tem cara, sangue e suor. Não existe isenção, imparcialidade, quem questiona se posiciona. É assim que entendo.

A política é a salvação, mas também jugo e carrasco. Não há nada aí de inocência, é um jogo bruto de hienas, cordeiros, leões e cobras.

Da minha parte, caro professor, já revi conceitos, abri o coração e a mente para tentar ver por trás das cortinas obscuras da realidade em que vivemos. E cheguei a seguinte conclusão: não tem mais como trilhar os mesmos caminhos, semear as mesmas sementes, regar as mesmas plantas, pois aí colheremos sempre os mesmos resultados.

A Justiça é um fenômeno humano, cultural, por isto, também tem lado, viés político e econômico. E ela não pode resolver tudo sozinha. O que fazer diante da enxurrada de denúncias e delações feitas, dia após dia, não por mim, mas pela Justiça? Como entender tudo isto, como decidir em quem votar daqui uns dias nas eleições?

Parte da Justiça diz que há corrupção, já na classe política ela não existe, é tudo sempre obra ficcional, fantasiosa.  A Lei é uma cabeça de medusa, complexa e apontando para todos os lados.  

Nesta hora acho vital o cidadão se posicionar diante de tantas e alarmantes denúncias, não cabe a nós julgar, isso é tarefa do Judiciário. Contudo, não é mais possível simplesmente ignorar por acreditar num ideal.

Mas o que te preocupa caro professor, a Lei, os políticos ou o cidadão?

Quando peço que se cumpra o que foi estabelecido anteriormente, no caso do Imlau, me critica. A administração municipal abriu a possibilidade de repassar recursos para o colégio Imlau e a comunidade aprovou. Então que se cumpra o combinado, o que foi decido. Isso me parece ser o certo, seguir a Lei.  

O que te preocupa caro professor? A situação dos políticos, que estão empenhados em aprovar a reforma previdenciária e política, mas sem tocar nos seus privilégios, que não são poucos; quando não se apropriam de recursos públicos para uso pessoal? É isso?

Há um país inteiro para se construir e a pauta é política partidária. Não dá mais.

Será a sua preocupação com o idoso que morre nas filas de hospitais por falta de atendimento básico, da criança que passa fome, da mãe que perde o filho antes mesmo de nascer? Sem falar em tantos outros absurdos e desgraças que presenciamos por falta de recursos públicos.

Se a sua preocupação é com o trabalhador, empresário, cidadão, estamos do mesmo lado da trincheira, lutando a mesma batalha, cada um como pode.

O tempo é de recomeçar e construir novos ideais, virar a página e seguir em frente, mudar e arriscar. É nisto que acredito.  

Por fim, caro professor Cassol, se não é possível sonhar e viver, não tem porque lutar. 

Leia também

  • Opção: Alto Uruguai

    O eleitor precisa de um auxílio dos representantes públicos locais para definir em quem votar

  • De novo contra?

    Objetivo da Agência de Desenvolvimento é procurar fontes de financiamentos e investidores

  • O que, afinal, se quer?

    É pela cultura que decidimos ser o que somos. E é pela cultura que vivemos.

Blog dos Colunistas

Publicidade

Horóscopo

Áries
21/03 até 20/04
Hoje temos a Lua nova que ocorre no setor amoroso dos...

Ver todos os signos

Publicidade