Blog do Dennis Allan

Dennis Allan

Pecado em Ezequiel 18

Por Dennis Allan
Foto Divulgação

O profeta Ezequiel atuou nas primeiras décadas do sexto século antes de Cristo. Suas mensagens tratavam do pecado do povo de Judá que levou ao castigo da nação pelas mãos dos babilônios. O próprio Ezequiel estava entre os hebreus levados ao cativeiro na Babilônia. Os ensinamentos desse profeta ajudam todos que buscam entendimento de Deus e suas atitudes sobre o pecado do homem. 

Ezequiel acreditou na soberania de Deus. Mais de 60 vezes no livro desse profeta, Deus usa expressões como estas:“Saberão que eu sou o SENHOR”e“Saberão que eu, o SENHOR, disse [ou fiz, etc.]....” Ezequiel demonstrou sua confiança absoluta no poder ilimitado de Deus.

Pessoas que ensinam que o poder de Deus seja limitado contradizem o profeta Ezequiel.

Ezequiel acreditouna culpa dos homens pelos seus pecados. Ele transmitiu a mensagem do Senhor sobre os transgressores de Israel: “Assim diz o SENHOR Deus: Vós vos contaminais a vós mesmos...” (Ezequiel 20:30). Por meio desse profeta, Deus disse aos líderes do povo: “Eis que os príncipes de Israel, cada um segundo o seu poder, nada mais intentam, senão derramar sangue” (Ezequiel 22:6). O livro está cheio de avisos desse tipo sobre os pecados do povo.

Pessoas que negam o livre arbítrio dos seres humanos e sua culpa pela decisão de pecar contradizem esse profeta de Deus.

Ezequiel não acreditou que o homem fosse responsável pelos pecados do seu pai, nem do seu filho. Para as pessoas que tentaram jogar a culpa pelo seu castigo nos pais, Deus disse: “Eis que todas as almas são minhas; como a alma do pai, também a alma do filho é minha; a alma que pecar, essa morrerá”(Ezequiel 18:4). “A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniquidade do pai, nem o pai, a iniquidade do filho; a justiça do justo ficará sobre ele, e a perversidade do perverso cairá sobre este” (Ezequiel 18:20).

Pessoas que pregam a condenação por causa dos pecados dos antepassados ou a necessidade da salvação dos pecados herdados contradizem o ensinamento de Ezequiel.

Ezequiel não acreditou que Deus desejasse a morte de ninguém. Ele passou aos ouvintes os apelos de Deus e seu desejo de salvar: “Acaso, tenho eu prazer na morte do perverso? diz o SENHOR Deus... Porque não tenho prazer na morte de ninguém, diz o SENHOR Deus” (Ezequiel 18:23,32). Nisso, Ezequiel concordou com o ensinamento do apóstolo Paulo, que escreveu que Deus “deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade” (1 Timóteo 2:4).

Pessoas que ensinam que Deus predeterminou a salvação de alguns e a morte de outros sem nenhuma decisão das próprias pessoas contradizem o ensinamento de Ezequiel e de Paulo, e negam as palavras do próprio Senhor.

Ezequiel acreditou que o homem exercesse poder para escolher entre certo e errado.Deus não deseja a morte de ninguém, mas ele não obriga ninguém a ser salvo. A decisão fica com o homem! Voltando para os mesmos versículos citados acima, Deus continua com seu apelo urgente: “não desejo eu, antes, que ele se converta dos seus caminhos e viva?” e “Portanto, convertei-vos e vivei” (Ezequiel 18:23,32).

Aqueles que ensinam que o homem não participa da sua salvação e não decide se converter ou não contradizem o ensinamento de Ezequiel e rejeitam as palavras de Deus!

Vamos rejeitar qualquer doutrina humana que contradiz os ensinamentos que Deus revelou pelos seus santos profetas e apóstolos.

Blog dos Colunistas

Publicidade

Horóscopo

Áries
21/03 até 20/04
Tenha cautela com informações que ouviu...

Ver todos os signos

Publicidade