0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Blog do

Ernesto Kreische tocando um baile no Clube Ipirando em 1945

O violino de Ernesto Kreische

Por
Foto Divulgação

            Ernesto Kreische, filho de Ricardo (Richard) Kreische e de Emília Kreische, nasceu em Burgstein, Áustria, no dia 11 de abril de 1908.

            Em 1914, com seis anos de idade, veio com sua família para o Brasil em busca de melhores oportunidades e de um clima mais quente.

            A primeira cidade que a família fixou residência foi Getúlio Vargas (então Erechim), posteriormente foram morar em Passo Fundo, Cruz Alta, Ijuí e finalmente Erechim (então chamada de Paiol Grande), em 1921.

            Todos os membros de seu núcleo familiar tocavam algum instrumento musical, orientados por seu pai, Richard Kreische, músico formado na Universidade de Praga, na República Tcheca.

            Ernesto Kreische por sua vez, tinha conhecimento musical aprofundado e dominava diversos instrumentos como a viola, violão, piano, saxofone, contrabaixo acústico e principalmente o violino. Seu aprendizado musical se deu através de seu pai e irmãos.

            A irmã de Ernesto, Berta Kreische Engel, e seu sobrinho (filho de Berta) Oswaldo Engel, forma músicos fundadores da Orquestra de Concertos de Erechim em 1950. Porém, Ernesto Kreische passou a integrar a referida orquestra somente em 1954 a convite do maestro Frederico Schubert, onde, devido a sua exuberante musicalidade foi spala por 29 anos (1954 à 1983).

            Paralelamente Ernesto Kreische atuou no naipe dos primeiros violinos da Orquestra de Joaçaba em Santa Catarina (SCAJHO- Sociedade Cultural e Artística de Joaçaba e Herval do Oeste), a convite do maestro Alfred Sigwalt.

            Durante a década de 1940, Ernesto Kreische atuou no Jazz Paiol Grande, tocando violino, juntamente com seu pai Richard ao contrabaixo, e seu sobrinho Oswaldo Engel ao piano.

            Posteriormente, na década de 1950, integrou a Jazz Típica Ideal liderada pelo pianista Oswaldo Elemar Engel.

            Durante uma determinada ocasião na década de 1940, quando Donato Racciatti (18/10/1918 – 27/05/2000 famoso maestro uruguaio, tocava principalmente tangos e boleros) sua Orquestra Típica vieram se apresentar no Clube Atlântico em Erechim, o maestro Racciatti estava sem seu violinista, e lhe indicaram Ernesto Kreische (que morava do outro lado da rua em relação ao clube) para tocar com seu grupo naquela noite. Ernesto aceito ajudar e desempenhou bem sua função, tanto que o maestro lhe convidou para se juntar definitivamente ao grupo, porém este não aceitou.

            Fundou na década de 1950 a Jazz Típica Tangará, onde tocava diversos instrumentos, ao lado de seu filho Sérgio Kreische, que tocava acordeom, piano e principalmente contrabaixo acústico. Este grupo animou diversos bailes e festividades em geral, no interior do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

            Com a Orquestra de Concertos de Erechim, apresentou se na inauguração da Assembleia Legislativa em 1964, sua musicalidade chamou a atenção do então maestro da OSPA Pablo Komlós, que ao final do evento, o convidou para integrar a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre. Devido a já estar estabelecido em Erechim, Ernesto declinou o convite.

            Paralelamente a suas atividades musicais, Ernesto trabalhava como caixa no Banco da Província em Erechim.

            Ernesto Kreische tocou saxofone na Banda Municipal de Erechim, durante a década de 1950, sob regência do maestro Frederico Schubert.

            Ernesto Kreische faleceu em 29 de maio de 1985.

Blog dos Colunistas

Publicidade

Horóscopo

Câncer
21/06 até 21/07
Boas ideias poderá colocar o serviço em dia e...

Ver todos os signos

Publicidade