Blog do Coluna do Leitor

Padre Sala tocando orgão.jpg

Músicos de Erechim

Por Coluna do Leitor

Música e religião estão tão ligadas ao homem (pelo menos desde a antiguidade), de forma a se completarem como duas faces de uma mesma moeda, na busca pelo mistério do sobrenatural. Na milenar tradição católica a musica tem sido uma fiel escudeira ao longo dos séculos, como ferramenta de catequização e meio de expressão do mistério da fé.

Conhecido pelos fieis simplesmente como Padre Sala, o músico José Carlos Sala nasceu em 18 de janeiro de 1968 na cidade de São Valentim, filho de Olinto Sala e de Maria Zanini Sala, e teve influencia em sua infância do canto folclórico italiano quando seu pai e familiares reuniam-se para cantar e festejar, por outro lado do canto sacro na pequena comunidade do interior em que vivia com sua família, inclusive seus pais fazendo parte do coro da capela.

Teve contato com a flauta-doce ainda na infância, e quando foi estudar no seminário aos 12 anos de idade, teve contato com o piano, o órgão, além de cantar no coro dos seminaristas, o que fez com que se apaixonasse ainda mais pela música.

Paralelamente a seus estudos enquanto seminarista, com o ensino médio, depois Filosofia, e ainda Teologia, estudava música com instrumentos como o violão, piano e órgão, com o padre Olírio Streher, posteriormente estudou piano com Humbertus Hoffmann em Porto Alegre, no Conservatório Palestrina e orgão com o organista e organeiro Renato Koch. Estudou música também em Passo Fundo, na Escola Notre Dame e fez bacharelado em piano na Universidade de Passo Fundo, orientado pela professora Veronica Dametto.

Durante a sua formação participou de diversos encontros, oficinas, painéis e cursos de regência organizados pela FECORS – Federação de Coros do Rio Grande do Sul, que lhe proporcionaram uma maior visão do canto coral em um contexto litúrgico.

Atuou como professor de piano e harmonia, no Colégio Santa Clara, em Getúlio Vargas, também no Conservatório Francisco Manuel da Silva (ligado ao Colégio São José), além de ser professor concursado da Escola Municipal de Belas Artes Osvaldo Engel por apenas um ano.

Ministrou aulas de música no Seminário de Fátima em Erechim desde 1993, onde ensinava musicalização, piano, canto, violão, flauta, teclado aos seminaristas, além de aulas particulares a membros da comunidade.

Postergou sua ordenação como padre para 1997, para poder concluir seus estudos em música, inclusive compondo a Missa de sua ordenação. Como compositor, Sala tem mais de 200 obras, sendo basicamente canções litúrgicas, além de duas Missas.

Em 2008 lançou uma obra pela gravadora Paulinas, chamado Há sempre uma luz, com canções vocacionais, além de várias composições suas gravadas por outros artistas, também lançadas pala Paulinas.

Após sua ordenação, começou a aprofundar seus estudos em música na liturgia, posteriormente passou a integrar como assessor a Regional Sul Três, que compreende 18 Dioceses do Rio Grande do Sul, ministrando cursos de música litúrgica.

Desde o início de 2008, assumiu a assessoria de música litúrgica da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) em Brasília com uma abrangência nacional, tendo contanto com o multiculturalismo e grande variedade eclesial de música litúrgica no Brasil.

Atualmente morando novamente em Erechim, na paróquia do Bairro Atlântico para continuar sua missão como padre incardinado, buscando a união da música pura com a liturgia católica, e ofertar a seus fieis uma formação musical além de levar a palavra.

Sala conseguiu conjugar suas atividades como sacerdote com a vocação pela música, mesmo que renunciando a uma carreira solo profissional como musicista, mas tendo a música sempre presente em sua vida, acreditando que a música é o melhor caminho para se chegar até Deus.

Blog dos Colunistas

Publicidade

Horóscopo

Câncer
21/06 até 21/07
Pode se desentender com alguém de fora. Não...

Ver todos os signos

Publicidade