Euro R$ 3,84 Dólar R$ 3,26

Publicidade

Blog de Neivo Zago

Geral

Neivo Zago

Neivo Zago, especialista em Língua Inglesa (Unisinos) e mestre em Línguística (UFSM). Professor de português e de inglês desde 1974, ininterruptamente.

Lecionou em escolas estaduais e particulares (curso de inglês). Atualmente trabalha na URI. 

É colaborador assíduo escrevendo às sextas-feiras sobre assuntos gerais, específicos e temas do cotidiano.

  • Bem-vindo a E_ _ _ _IM! A prefeitura do turno único?

    Por Neivo Zago
    Foto Divulgação

    Entre anseios e anelos; sonhos e pesadelos, saltos e sobressaltos, encontros e desencontros vamos vivendo. Bom e salutar é sonhar, seja dormindo ou acordado. Porém, é preciso buscar a realização dos sonhos. Por exemplo, eu sonho acordado com o pórtico de entrada, abandonado, um péssimo cartão de visita.  Você não tomaria providências se alguém quebrasse os vidros da porta de entrada da sua casa? Ou deixaria assim como está o pórtico? Bem-vindo a E_ _ _ _ I M é o que restou do nosso topônimo na entrada.

    Você poderá pensar, ao ler este artigo, que o meu assunto é extemporâneo, portanto, passado, morto e sepultado. Porém, acho conveniente recapitular, uma vez que, o referido pleito (fim do turno único), fez parte da lista de alguns itens pontuais da nossa iniciativa popular liderada pelo projeto a Voz do Povo, no ano passado. Na ocasião, precisamente 4.605 assinaturas reivindicavam o fim do expediente único, adotado pela administração anterior. Infelizmente essa e outras petições, apesar de tanto esforço, não foram aceitas, e todos sabem a razão:

    O prefeito atual prefeito, quando em campanha, se pronunciou contrário à medida, ou seja, mostrou-se favorável ao atendimento em dois turnos. Mas, agora como ele não quis ser um óbice nesse imbróglio, e como não é nenhum apedeuta e, menos ainda, onagro, resolveu submeter a proposta à comunidade.  

    Quem estaria apto a votar? Todo cidadão com título de eleitor incluindo as pessoas mais interessadas na adoção da medida: os funcionários da prefeitura. Não deveria votar apenas o público externo? Isso se chama legislar em causa própria. Parece que o montante de “colaboradores” municipais chega a 2.700. Nossa! Mais do que o maior público de pessoas que já se fez presente nas partidas mais importantes do Ypiranga na série C.

    Ocorre que quando a imaginação de algumas pessoas entra em cena nem sempre acaba bem. O tiro saiu pela culatra, pois algumas pessoas teriam se servido de alguns fantasmas que “na calada da noite” resolveram votar em nome de certos eleitores de carne e osso. O resultado não poderia ser outro: Suspensão do processo que até aquele estágio já tinha 11 mil votos favoráveis, (certamente os da prefeitura e de seus familiares). E, como se esperava, apenas aproximadamente 3 mil votos contrários.

    Sugiro que, se porventura o assunto volte à cena, que não apenas os funcionários da prefeitura continuem perseguindo o seu sonho, mas que, os do comércio e os da indústria também façam o mesmo. Que as escolas entrem na ciranda e que todos nós possamos gozar do privilégio de trabalhar seis horas ininterruptas, sem diminuição de salário, obviamente. Por que não? Não somos iguais perante a lei? Não temos os mesmo direitos? Já pensou como seria vida a partir do turno único? Uma maravilha! Ah, bem-vindo lazer a partir da 1 da tarde! “deixa a vida me levar, vida leva eu”! Turno único! Anelo somente dos funcionários do paço municipal? Não! Também o meu, o teu, o nosso e o vosso sonho! Que pena, se não virar realidade! 

    Mas deixando de lado a polêmica acima, a nossa E­_ _ _ I M (é o que restou das letras) no pórtico de entrada, a “Capital da Amizade” continua recebendo a todos de braços abertos. Porém, se você for “estrangeiro” e precisar dos serviços da prefeitura, verifique antes o horário de atendimento. Ademais: cuide com as imperfeições (buracos) em algumas ruas, não todas. Enquanto isso, eu continuo a acreditar que “a esperança é a última que morre”, e dou asas aos meus sonhos e reivindicações como as simples protocoladas na prefeitura: troca de lâmpadas na avenida; desobstrução de bocas de lobo; conserto no péssimo calçamento da minha rua (sim, parece que só eu moro nela), dentre outras.  Ou será que terei que recorrer a D. José, aos colaboradores e às equipes que executaram a revitalização do Santuário e da esplanada (sem um centavo do dinheiro público), para ver meus anelos concretizados? Ou quiçá, outra solução seria eu incluir esses pedidos nas novenas repetitivas do Santuário?

  • Uma página para a Ondina, a globetrotter

    Globetrotter, para lembrar, é

  • Sonhei, que pena! Foi apenas um sonho

    Seria um sonho a prática da leitura cotidiana na sociedade erechinense? Utopia? Sonho? Quem sabe? Por que não?

  • Sucessão de encontros

    Encontro, encontros e mais encontros. Que bom ser a vida uma sucessão de encontros. Alguns acontecem programados; outros fortuita e casualmente: são aqueles quando cruzamos com amigos e colegas de forma inesperada, mas que nos fazem bem. Há também, os que não queríamos ver acontecer, como os tristes, quando nos reunimos para a despedida de familiares e amigos. E, é nesses momentos que percebemos a fugacidade da vida, e a celeridade do tempo que nos deixa marcas físicas visíveis.

  • Reflexões no Dia do Professor

    Domingo, Dia do Professor. Neste ano a data a nós dedicada caiu em um Sunday dia voltado ao lazer, a descontração, à religião. Mas, o domingo pode comportar outras atividades como, no meu caso, neste dia, ter dedicado alguns percursos dos ponteiros do relógio para escrever este texto e refletir um pouco sobre a data. Além disso, de ler e refletir sobre alguns recados, ouvir mensagens e vídeos veiculados pela mídia virtual a respeito da efeméride. Do aluno Felipe K, e da Susane, entre poucos, recebi os cumprimentos.

  • D e s n o r t e a d o s

    A gente acaba se acostumando e se adaptando com tudo. E eu, aos poucos vou me acostumando com a devastação do que era um cinturão verdade a circundar o

  • Outra vez caminhando em procissão*

    É outra vez outubro, um mês especial, o décimo do ano que aos poucos vai anunciando o seu ocaso. É um período especial por várias datas comemorativas; algumas comerciais, (dia da criança, do professor) e também por motivações religiosas, dentre elas (neste ano) o centenário das aparições de Nossa Senhora de Fátima e os trezentos anos de Nossa Senhora Aparecida. Assim, jubilosos vivamos este mês, pois ainda há tempo.

Publicidade

Blog dos Colunistas

Publicidade

Horóscopo

Capricórnio
22/12 até 20/01
O momento prioriza o autoconhecimento e a...

Ver todos os signos

Publicidade