22°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,41 Dólar R$ 3,92
22°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,00 Dólar R$ 3,00

Publicidade

Blog de Dad Squarisi

Dad Squarisi

Dad Squarisi fez curso de letras na UnB. Tem especialização em linguística e mestrado em teoria da literatura. É editora de Opinião do Correio Braziliense e comentarista da TV Brasília.

  • Rito de passagem

    Por Dad Squarisi

    Páscoa é palavra hebraica. Quer dizer passagem. É tão antiga quanto Adão e Eva. Bem antes de Moisés vir ao mundo, os pastores nômades comemoravam o evento.

    Cantavam e dançavam pela despedida do inverno e a chegada da primavera. Na nova estação, a neve se ia. Os campos se cobriam de pastagens. Os alimentos abundavam. Oba!

    Mais tarde, os judeus começaram a festejar a Páscoa. Lembravam, com sacrifícios, a saída do povo de Israel do Egito. Era a passagem da escravidão para a liberdade. No livro Êxodo, a Bíblia conta toda a história.

    Em 325, os cristãos instituíram a efeméride. Com ela, exaltam a ressurreição de Cristo. Em outras palavras: a passagem da morte para a vida. Para católicos e protestantes, a data simboliza a morte vicária - Jesus morreu em lugar dos homens. Para salvá-los.

    Que tal o meu lugar?

    A religião fala em morte vicária. A língua, em termo vicário. Ambos têm um ponto comum - a substituição. A morte de Cristo evitou a dos homens. O termo vicário toma o lugar de outro já citado. Viva! Evita repetições.

    Escrever a mesma palavra pertinho uma da outra? Nãoooooooooo! A frase fica monótona. O vicarinho quebra o galho. É o caso do pronome pessoal de 3ª pessoa. Ele e ela fazem as vezes de um nome referido. Veja: Muitas pessoas têm triplo expediente. É o caso de Maria. Ela trabalha das 8h às 18h. Depois, estuda.

    Outro exemplo

    Há gente sem caráter. E verbos também. O campeão da turma é fazer. Num piscar de olhos, lá está ele em lugar de outro: Planejei entregar o trabalho antes do feriadão. Depois de muito esforço, consegui fazê-lo (consegui entregar). 

    Folclore

    A frase jocosa atribuída a Jânio Quadros entrou no folclore político. Lembra-se? Nela, o bigodudo da vassourinha abusou do vicário:

    - Por que o senhor renunciou?, perguntou o repórter.

    - Fi-lo (renunciei) porque qui-lo (quis renunciar).

    Xô, solidão

    O substantivo Páscoa sentiu-se solitário. Decidido, resolveu formar família. Pediu socorro ao sufixo -al. Com ele, formou os adjetivos pascal e pascoal. As duas letrinhas aparecem em montões de adjetivos. Em todos mantêm o significado - relacionado a. Pascal e pascoal são relacionados com a Páscoa (festa pascal, Monte Pascoal). Campal, com campo (batalha campal). Matrimonial, com matrimônio (cerimônia matrimonial).

    E por aí vai.

    Leitor pergunta

    Ascensão e assunção são palavras sinônimas?
    Carlos Seabra, Niterói

    Não. A propriedade vocabular manda fazer a distinção. Quarenta dias depois da Páscoa, Jesus voltou pra casa. Mudou-se para o céu - sozinho, sem ajuda. O ato milagroso se chama ascensão. O verbo, ascender. Maria seguiu o filho. Mas precisou ser levada. A subida dela às alturas se denomina assunção.
     
     

Blog dos Colunistas

Publicidade

Horóscopo

Libra
23/09 até 22/10
Conseguir o apoio de tais ou quais pessoas não...

Ver todos os signos

Publicidade