0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Erechim 101 anos

“Que nossa cidade continue progredindo a passos largos”

Lazzarin
Por Alan Dias
Foto Divulgação

No ano de 2007, o policial militar Sandro Lazzarin, foi transferido para o Pelotão Rodoviário de Erechim, passou a se destacar no exercício da função e em 2016, assumiu o comando do posto policial. Hoje sargento, o comandante mantém seu coração em dois municípios, Marcelino Ramos, de onde é natural, e Erechim, onde consolidou a carreira e pelo trabalho exercido, recebeu no ano passado a Comenda do Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM), uma das mais altas honrarias concedidas pela polícia militar no Rio Grande do Sul. Além disso, já havia recebido a medalha Especial Mérito Rodoviário em 2016. Buscando sempre a qualificação para prestar um serviço de qualidade a comunidade, no ano de 2014 esteve em São Paulo, representando o Comando Rodoviário da Brigada Militar, momento em que frequentou um curso de três meses em Especialização no Policiamento Rodoviário, com policiais de diversos estados, obtendo a classificação de primeiro lugar entre todos os participantes.

Nesta reportagem, o comandante fala um pouco dos desafios e conquistas obtidas pelo Pelotão Rodoviário de Erechim ao longo dos anos e o que deseja para a Capital da Amizade em seu centenário.

Jornal Bom Dia – Fale um pouco sobre o trabalho do Pelotão Rodoviário em Erechim e na região, ao longo destes 100 anos do município.

Lazzarin – Primeiramente, nós do Comando Rodoviário da Brigada Militar somos muito gratos pela oportunidade de trabalharmos no Pelotão Rodoviário localizado em Erechim, município que além de próspero, tem como característica ser também muito acolhedor com as pessoas.

Na história do trânsito tudo evolui muito rapidamente, por exemplo, em 2005 tínhamos um fluxo de mais ou menos quatro mil veículos por dia na ERS 135, entre Erechim e Passo Fundo, hoje, 2019, temos uma média de 10.500 veículos por dia. Veículos mais potentes, pessoas com mais compromissos, tendo como consequência a pressa, excesso de velocidade. O poder econômico das pessoas mudou bastante e isso também reflete na questão de festas, tendo um reflexo nas ocorrências envolvendo pessoas embriagadas.

Enfim, tudo aumentou, e para frear o número de mortalidade e acidentes no trânsito se faz necessário estarmos constantemente em aperfeiçoamento.

Nossos policiais constantemente estão fazendo cursos, buscam se atualizar, qualificar, elaborar estratégias de combate aos principais crimes e infrações, com o uso do radar de alta tecnologia, etilômetro (bafômetro), e logo estaremos com um drone nos auxiliando na fiscalização, bem como o emprego do efetivo aonde as estatísticas mostram que existem pontos de riscos.

Aliado a tudo isso, o Comando Rodoviário através do Pelotão Rodoviário de Erechim atua na prevenção realizando muitas palestras educativas para crianças, jovens e motoristas.

JBD – O Pelotão Rodoviário ganhou destaque internacional devido ao projeto Natal Luz Rodoviário. Como e por quais motivos surgiu a ideia?

Lazzarin - Mesmo diante de todas as ações de combate e prevenção a acidentes e outras infrações, percebíamos que, no máximo, estávamos empatando nos números estatísticos de acidentes, então procuramos buscar alternativas para diminuir a acidentalidade, e o Natal Luz Rodoviário foi um projeto que deu muito certo. A ornamentação e enfeites que são instaladas no Pelotão, transmitem aos usuários da rodovia aquele sentimento de paz e espírito natalino, fazendo com que as pessoas dirijam com mais cuidado, dirigindo por si e pelos outros. Isso ocasionou uma redução significativa no número de acidentes nessa época de festas de final e ano.

Com o projeto atingimos cerca de 1.400.000 pessoas que transitaram diariamente pela rodovia, considerando que temos uma media de 10.500 veículos por dia na rodovia, com uma media de três pessoas por veículo e o projeto funcionando durante 45 dias.

Isso fez com que o Pelotão Rodoviário fosse conhecido nacionalmente e internacionalmente, pois foram muitas mensagens elogiosas recebidas de países com Portugal, Inglaterra, Estados Unidos, Argentina, entre outros.

(Erechim foi o primeiro município no país a ter um Pelotão Rodoviário decorado para o Natal e o projeto conta com a parceria de diversas entidades e profissionais do município).

JBD - Na área de atuação do Pelotão Rodoviário, quais os principais desafios para os próximos anos?

Lazzarin - Temos como meta não sermos melhores que ninguém, mas sim fazermos o melhor que podemos. Acreditamos que dessa forma conseguimos sim, atingir o sentido de “existirmos”, ou seja, dar segurança às pessoas e diminuir a acidentalidade nas rodovias, salvando vidas.

Mas o principal desafio, com certeza, é reduzir o número dos acidentes. Temos o sonho de um dia podermos anunciar o “Acidente Zero”, porém, sabemos que isso é muito difícil, mas com o apoio da comunidade e dos condutores, podemos continuar sim, reduzindo esse número que nos preocupa muito, pois quando temos uma morte no trânsito já é uma triste noticia, contudo, nos últimos anos conseguimos reduzir cerca de 26% os números, comparando com anos anteriores.

JBD - Em sua opinião, com foco na segurança de Erechim e região, quais ações considera como emergenciais?

Lazzarin - Erechim já está bem adiantada em muitas coisas, comparando com outros municípios do mesmo tamanho ou até maiores. Cito como exemplo o projeto Sentinela, que foi implantado pela Brigada Militar e deu muito certo, além do projeto Novo Rumo.

Precisamos evoluir mais ainda na questão de tecnologias, pois isso certamente veio para contribuir muito com a sensação e segurança para a comunidade e nas rodovias. Logo estaremos com vigilância através de drones, que terão como foco combater aqueles condutores que realizam manobras arriscadas, ultrapassagens proibidas, entre outras infrações.

JBD - Como cidadão, o que espera para Erechim nos próximos anos?

Lazzarin – O desejo é de que nossa cidade continue progredindo a passos largos, que as pessoas possam pensar no bem comum, na coletividade, sem distinção por partidos políticos, religiões, times de futebol, sem muito ficar nesses “grupos fechados”, ou seja, que consigamos dar, cada vez mais, valor aos produtos de Erechim. E que se possa proporcionar mais oportunidades para as pessoas, no sentido de apoiar nossa cidade para que todos possam progredir.

Publicidade

Blog dos Colunistas