0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Especial

“Temos que correr atrás do extra, porque o orçamento é limitado”

Administração pública bem-feita traz resultados, mas para investir é preciso buscar recursos via eme
Por Ígor Dalla Rosa Müller
Foto Arquivo BD

O município de Charrua tem muito ainda para investir, principalmente, na área urbana da cidade, com a implantação de asfalto, calçamento e passeios, afirma o prefeito Valdésio Roque Della Betta.

Charrua é uma palavra originária do tupi-guarani que significa "instrumento de trabalho", e que completou 27 anos de emancipação político e administrativa. Conforme Della Betta, o município está bem e vive um momento positivo, apesar da crise política e econômica dos últimos anos. Ele afirma que todas as secretarias estão bem estruturadas, Obras, Agricultura, Saúde, Educação, transporte escolar, e os serviços foram ampliados nos últimos anos.

O gestor público afirma que a administração está com os “pés no chão”. “Sabemos que não se faz milagres e dentro das nossas possibilidades é positiva a avaliação do nosso município”, afirma.

A economia de Charrua é basicamente agrícola, com destaque para produção de grãos, leite e suínos. Tem uma população de 3500 habitantes, sendo que 1500 são indígenas. “Mais de 40% da nossa população é indígena e vive na reserva”, diz.

Della Betta afirma que a administração está lutando para que seja realizado o asfalto de 13 quilômetros na ERS 430, importante rodovia que liga Charrua a Tapejara. Como também os 22 quilômetros que faltam da ERS 475 que liga Charrua a Sananduva. “Hoje já temos a ligação com Getúlio Vargas, mas tem que dar continuidade no mínimo até Tapejara. Estamos trabalhando nisso”, afirma.

O prefeito afirma que a administração pública bem-feita traz resultados, no entanto, ainda é preciso buscar recursos via emendas parlamentares para conseguir fazer mais investimentos no município. “Nesses dois anos, o município conseguiu muitos recursos de emendas para equipamentos, máquinas, transporte escolar, veículos para saúde. E essa foi a diferença porque o orçamento é muito limitado. Temos que correr atrás do extra”, observa.

 

Publicidade

Blog dos Colunistas