22°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 6,38 Dólar R$ 5,41
0°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 6,38 Dólar R$ 5,41

Publicidade

Região

RGE substitui 435 lâmpadas em prédios públicos de Viadutos

Distribuidora estima que o município terá economia de R$ 9,4 mil ao ano na conta de luz

Por Assessoria de Comunicação
Foto Divulgação

A RGE, por meio do Programa de Eficiência Energética (PEE), finalizou a substituição de 435 lâmpadas comuns por versões de LED em cinco prédios públicos de Viautos. As ações terminaram no último mês e tiveram investimento de R$ 8,1 mil por parte da distribuidora.

A expectativa é que os novos sistemas de iluminação dos prédios possibilitem uma economia de 25,84 MWh/ano e uma redução na demanda de ponta de 1,60 kW. Isso impacta em uma diminuição na conta de energia elétrica de aproximadamente R$ 9,4 mil ao ano. As substituições de lâmpadas ocorreram nos prédios da própria prefeitura, na unidade básica de saúde Dr. Ernani Bender, e em escolas públicas, como a Escola de Educação Infantil Viadutos.

De acordo com o coordenador do Programa de Eficiência Energética da RGE, Odair Deters, as lâmpadas de LED são até 80% mais econômicas do que as antigas, duram cerca de três vezes mais. “As lâmpadas de LED têm vida útil de cerca de 25 mil horas, ou seja, duram mais de dois anos se ficarem ligadas de maneira ininterrupta”, destaca Deters. 

Neste caso de Viadutos, os locais têm alta circulação de pessoas. “Sem dúvida é um acréscimo significativo na qualidade da iluminação destes locais e, claro, uma diminuição nos gastos com energia”, complementa o coordenador do PEE da RGE.

O custo da doação e instalação das lâmpadas é por conta do Programa de Eficiência Energética da RGE, que também deu o encaminhamento correto às lâmpadas descartadas de acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, definida pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente.

Leia também

  • Jacutinga: ave dá nome ao município

    Moradores e tropeiros que por ali passavam deram esse nome ao pequeno vilarejo

  • Itatiba do Sul: terra das pedras

    Ao chegar ao local onde hoje é Itatiba do Sul, o imigrante se deparava com a floresta virgem. Como havia muita madeira de lei, o corte das árvores mostrava-se lucrativo, seja para abrir os espaços para a construção dos “ranchos”, preparar o solo, limpar o chão para o plantio

  • Ipiranga do Sul: município construído por muitas mãos

    A formação de Ipiranga do Sul começou na propriedade da família Rigo, que, apesar de não morar lá, possuía um agregado, chamado Jacó Postal, que, junto aos seus familiares, cuidava de terra e trabalhava na lida do gado

Publicidade

Publicidade

Blog dos Colunistas