20°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Região

10º Fórum Norte Gaúcho da Soja é sediado em Ipiranga do Sul

Mais de 350 pessoas participaram das palestras sobre a soja e temas do agro

teste
A edição marcou os 10 anos do Fórum oferecendo conhecimento aos produtores rurais
Por Assessoria de Comunicação
Foto Divulgação

Ipiranga do Sul celebrou na sexta-feira (18), o 10º Fórum Norte Gaúcho da Soja. A solenidade de abertura contou com autoridades organizadoras e a presença expressiva de mais de 350 pessoas no Centro Esportivo Municipal.

O prefeito Marco Antonio Sana, em seu pronunciamento, destacou a alegria de Ipiranga do Sul sediar a edição que marcou os 10 anos do Fórum, especialmente por oferecer conhecimento aos produtores rurais. “Agradecemos ao Sindicato Rural pelo trabalho incansável, dedicação e profissionalismo juntamente com todas as entidades envolvidas e patrocinadores”, disse Sana ao referenciar o expressivo público que abraçou o evento, entendendo a importância que tem para o agronegócio no Norte do Estado. “Estamos de portas abertas para receber a todos e desejamos que este evento se perpetue”, afirmou o prefeito.

Para o presidente do Sindicato Rural de Getúlio Vargas, Luiz Carlos da Silva, a organização se empenhou com extrema dedicação. Ele destacou a qualidade das palestras e do conhecimento oferecido aos produtores, profissionais, consultores e estudantes. “É fantástico, no nosso entendimento, abordar essa questão do solo, que é a base da agricultura. Falamos sobre tecnologias, a agricultura moderna e regenerativa, sobre cobertura e perfil do solo, questões de mercado, clima, plantas invasoras. Por fim, um evento muito bacana onde as pessoas que estão relacionadas ao Agro entenderam que era um momento importante e queriam estar presentes”, pontuou Silva.

O Fórum Norte Gaúcho da Soja é uma realização do Sindicato Rural de Getúlio Vargas, prefeitura de Ipiranga do Sul, ACCIAS, Emater/RS-Ascar, Centro Universitário Ideau e Associação dos Engenheiros Agrônomos dos Municípios do Alto Uruguai.

Manejo sustentável

Alencar Rugeri ministrou o Espaço Emater traçando um panorama da Safra no Rio Grande do Sul 22/23. Em seguida, houve o painel sobre manejo sustentável de alto rendimento mediado por Fabiano Paganella com participação dos engenheiros agrônomos Diego Alessio e Telmo Jorge Carneiro Amado.

Eles abordaram a preparação do ambiente e o processo de regeneração para a produção. Trazendo experiências da Fazenda Banhado Verde. “As soluções estão dentro da tua propriedade, a forma como você organiza o conhecimento vai te trazer resultado, aproveitando a transferência de tecnologias”, disse o panelista Diego Alessio ao mencionar que, se o produtor desejar resultados econômicos, precisa de tempo e dedicação pois tudo é fluxo de energia e isso se consegue plantando e colhendo.

 

Déficit hídrico

O palestrante Telmo Jorge Carneiro Amado falou sobre perdas de produtividade por déficit hídrico e como é possível estabilizar. “É uma preocupação que me acompanha há muitos anos. O Rio Grande do Sul deveria ser o estado que mais investe no solo pra tentar mitigar as perdas por falta de chuva. Como está a situação dos nossos solos? No mundo inteiro não é diferente, só 10% dos solos agrícolas estão aumentando e 30% estão perdendo produtividade”, alertou.

Ele acredita que o sucesso da produtividade dependa 50% do clima, solo 23%, planta 13% e manejo 14%. “Muitas vezes a gente se esquece de cuidar do solo, se apaixonado por uma máquina, e está com a terra ácida. O solo tem vida e a vida é frágil temos que aprender a cuidar”, recomendou.

Comercialização

O economista da Farsul, Ruy Silveira Neto, falou sobre a produção e consumo mundiais de soja sugerindo ao produtor ficar atendo aos custos. “Tracem uma estratégia de comercialização entre agosto e setembro, até os americanos começarem a colher em outubro. Já comecem a orçar a próxima safra, porque vai fazer uma diferença tremenda”, orientou.

Em relação aos preços ele explicou que se houver uma super safra, com pouca venda no futuro, pode ter um cenário parecido com o deste ano. “Se o produtor tiver bem claro seus custos ele pode fazer uma venda futura. Façam comercialização se os preços estiverem bons para cobrir seus custos”, reiterou.

Clima e controle de plantas daninhas

O meteorologista Luiz Carlos Molion falou sobre as perspectivas do clima com tendência ao resfriamento global para os próximos 15 anos. Por fim, Anderson Luis Nunes finalizou as palestras falando sobre o controle de plantas daninhas e a importância do uso de herbicidas pré-emergentes na cultura da soja.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas