19°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Região

Alto Uruguai contabiliza mais de R$ 400 milhões de prejuízos com as chuvas

teste
Presidente da AMAU, Marcelo Arruda, fez uma apresentação mostrando os estragos em todos os município
Por Rodrigo Finardi
Foto Rodrigo Finardi

Nesta quinta-feira, 23, esteve no Alto Uruguai, o secretário de Comunicação Institucional da Presidência da República, Maneco Hassen, visitando o Alto Uruguai, em alguns municípios atingidos pelas enchentes, para agilizar recursos.

 

Em Itatiba do Sul e Barra do Rio Azul

Na parte da manhã esteve em Itatiba Sul, onde foi recebido pelo prefeito Valdemar Cibulski, que foi o responsável por mediar a vinda do governo federal para a região.  Após, o secretário esteve em Barra do Rio Azul, um dos municípios mais atingidos pelas chuvas. Foi recebido pelo prefeito Marcelo Arruda, que também é o presidente da AMAU.

 

Agenda com prefeitos em Erechim

Na parte da tarde, a agenda foi com os prefeitos do Alto Uruguai, na URI Erechim. O secretário Maneco Hassen, recebeu um material elaborado pela AMAU, com imagens dos estragos causados pelas enchentes, nos 32 municípios da região, e levantamento dos prejuízos e decretos de emergências.

 

Valores estratosféricos

A apresentação foi feita pelo presidente da AMAU, Marcelo Arruda, que mostrou individualizado, quanto os municípios perderam, e na soma geral chega a R$ 402 milhões: “parece pouco, de um a um, mas no final dá quase meio bilhão e esses valores podem subir ainda”, sublinhou.

 

O oficio e as demandas

O ofício que é endereçado ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, elenca as demandas do Alto Uruguai Gaúcho, em função das severas chuvaradas e tempestades:

1.Auxílio financeiro para contratação de horas máquinas para recuperação das estradas rurais;

2.Ajuste da Medida Provisória nº 1.189, de 27 de setembro de 2023, para que empresários, MEI, ME e EPP possam acessar linhas com juro zero, carência de 24 meses e 36 meses para pagar;

3.Que o Decreto 11.730 de 09/10/2023 seja ampliado para todos os desastres naturais com situação de emergência até dezembro;

4.Linhas de subsídio de 50% para financiamentos agrícolas que terão novas perdas.

 

Reforçando a união da região

O presidente da AMAU, Marcelo Arruda, reforçou para o representante do governo federal a união da região em várias frentes, e que se acentuou com os estragos causados pelas fortes chuvas: “aqui não olhamos para partidos, e estamos sempre prontos para nos ajudar mutuamente. Aqui o P é de pessoas e não partidos”.

A mesma linha de colaboração mútua

O vice-presidente da AMAU e prefeito de Itatiba do Sul, Valdemar Cibulski, um dos responsáveis pela agenda do secretário no Alto Uruguai, usou a palavra e seguiu na mesma linha de Arruda, que o Alto Uruguai não vê partidos e sim o interesse coletivo.

 

Equipar melhor a Defesa Civil

O presidente da Associação, Comercial, Cultural e Industrial de Erechim (ACCIE), Darlan Dalla Roza, solicitou ao representante do governo federal, que se amplie a legislação, para equipar melhor a Defesa Civil, já que os efeitos climáticos severos, tendem a ser permanentes.

 

Agricultura familiar

A FETRAF-RS também participou da reunião.  O coordenador geral, Douglas Cenci, entregou ao secretário Maneco Hassen, ofício com as demandas da agricultura familiar.

 

Como acessar os recursos

Após ouvir os prefeitos e assistir à apresentação da AMAU, relacionados aos estragos deixados pelas chuvas, o secretário de Comunicação Institucional da Presidência da República, Maneco Hassen, relatou o que os municípios precisam fazer para acessarem recursos para ajudar na reconstrução: “o melhor caminho é via Defesa Civil Nacional. Mas para agilizar preencham corretamente os planos de trabalho. Tem municípios que em 48 horas estava com o dinheiro na conta. E o presidente Lula disse que não faltará dinheiro para a Defesa Civil, mas cabe aos prefeitos estarem atentos a toda a documentação”.

 

 

Levantamento dos prejuízos

Veja a seguir o levantamento feito nos 32 municípios do Alto Uruguai, com o valor dos prejuízos apurados até a data de ontem (23)

 

Aratiba: R$ 1,9 milhão.

Áurea:  R$ 10,8 milhões.

Barão de Cotegipe: R$ 31,1 milhões.

Barra do Rio Azul: R$ 10,2 milhões.

Benjamin Constant do Sul:  R$ 4,2 milhões.

Campinas do Sul:  R$ 13,6 milhões.

Carlos Gomes:  R$ 5,6 milhões.

Centenário:  R$ 14,5 milhões.

Charrua:   R$ 23 milhões.

Cruzaltense: R$ 17,3 milhões. 
Entre Rios do Sul: R$ 16,9 milhões.

Erebango: R$ 9,1 milhões.

Erechim: R$ 23,5 milhões.

Erval Grande:  R$ 4,3 milhões

Estação: R$ 7,5 milhões.

Faxinalzinho: R$ 2,3 milhões.  

Floriano Peixoto: R$ 7,9 milhões.

Gaurama: R$ 20,1 milhões.

Getúlio Vargas: R$ 24,5 milhões.

Ipiranga do Sul: R$ 16,1 milhões.

Itatiba do Sul: R$ 6,8milhões.

Jacutinga: R$ 23 milhões.

 Marcelino Ramos: R$ 7,8 milhões.

Mariano Moro: R$ 28,7 milhões.  

Paulo Bento: R$ 6 milhões.

Ponte Preta: R$ 3 milhões.

Quatro Irmãos: R$ 800 mil  

São Valentim: R$ 6,8 milhões.

Severiano de Almeida: R$ 10,6 milhões. 

Sertão:  R$ 23 milhões.

Três Arroios: R$ 12 milhões

Viadutos: R$ 4,1 milhões.

 

14 municípios homologados e 17 no aguardo

No Alto Uruguai, 14 municípios já tiveram a situação de emergência homologadas pelo governo. E outros 17, estão no aguardo.

 

Publicidade

Publicidade

Blog dos Colunistas