Publicidade

Rural

Produtividade da uva deve ser superior a safra passada

Clima e manejo adequado contribuem para o aumento na produção e sabor do fruto

u.png
Por Rosa Liberman - rosa@jornalbomdia.ccom.br
Foto Rosa Liberman

Temperaturas elevadas e alto período de insolação neste mês estão sendo decisivos para que a safra da uva no Alto Uruguai se consolide. Os produtores já estão vendo os resultados de uma fruta com alto teor de doçura e produtividade acima da obtida na safra passada. A colheita também começou mais cedo neste ano em função do clima. As parreiras localizadas na encosta do Rio Uruguai cultivadas com a variedade Niágara e Vênus já estão sendo colhidas, como em Aratiba e Mariano Moro.

De acordo com o agrônomo da Emater Regional, Luiz Ângelo Poletto, o auge da safra acontece em janeiro, seguindo até a primeira quinzena de fevereiro, mas em algumas localidades o processo já iniciou. No ano passado a produtividade média foi de 18 toneladas por hectare, mas segundo Poletto, a Emater está trabalhando com uma produtividade superior para a atual safra.

A área ocupada com parreiras na região era de 700 hectares, mas nos últimos anos diminuiu, se mantendo desde o ano passado em torno de 560 hectares. “E a tendência é de crescimento para os próximos anos, especialmente por produtores que já estão na atividade”, comenta. O interesse na produção de uvas está aumentando, de acordo com o agrônomo, também pelo fato da Emater realizar capacitação na produção de uvas, principalmente com relação ao manejo, poda e tratos fitossanitários.

A produção regional é comercializada no Alto Uruguai, com destino ao consumo in natura e também à produção de vinhos coloniais. Mas para atender a demanda, a região importa a fruta da Serra gaúcha.

Os municípios que se destacam no cultivo de uva são: São Valentim, Charrua, Floriano Peixoto, Erechim, Barão de Cotegipe e Benjamin Constante do Sul. As variedades mais cultivadas são a Izabel e Bordô.

 

 

 

 

 

 

 

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas