Publicidade

Blog de Rodrigo Finardi

  • Vereadores da base preferem o silêncio que defender o Executivo e calúnia e difamação nas redes sociais

    Por Rodrigo Finardi
    Foto Rodrigo Finardi

    Vereadores da base preferem o silêncio que defender o Executivo

    Sessão do Legislativo foi de forte cobrança com o coro de dois situacionistas   

    Passada a ressaca eleitoral, da penúltima sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Erechim, no dia 8 de outubro, na tarde de ontem (15) vereadores de oposição e dois de situação fizeram duras críticas ao Executivo erechinense. A maioria dos vereadores da base aliada, não abriram a boca, como concordando o que foi dito. Sobrou apenas para a líder de governo, Eni Scandolara (Progressistas) fazer a defesa, mesmo que de uma maneira leve. Veja o que disseram alguns vereadores.

    Claudemir de Araújo (PTB): questionou que está chegando ao final do segundo ano e o que está sendo feito? Para ele o governo precisa se mexer: “A Câmara de Vereadores custa R$ 10 mil por dia. E somos cobrados por ações não dependem de nós e sim do Executivo. Vou votar favorável aos pedidos de providência mas sei que nada será feito. E essa viagem para Brasília só foram fazer turismo e nada vão conseguir”.

    Lucas Farina (PT): Para ele a responsabilidade sobre os não feitos do Executivo recai sobre os vereadores que sempre são os culpados.

    Nadir Barbosa (MDB): de acordo com os vereadores a sessão de ontem deveria ter sido suspensa pela falta de projetos. E sobre os pedidos de providências salientou que não faz mais, pois a população espera que serão contempladas suas demandas e o Executivo não atende: “Deveríamos ficar em casa”.

    Eni Scandolara (Progressistas): Em sua fala, ela que é líder de governo ressaltou que esse ano foram aprovados em torno de 80 projetos e outros (em torno de 14) estão tramitando nas comissões. Par Eni os vereadores precisam fiscalizar o congresso para que sejam feitas as mudanças necessárias e as reformas que o país precisa para ficar mais recursos nos municípios.

    André Jucoski (PDT): No ano passado foi líder do governo, mas resolveu falar: “Precisamos abrir o livro. Cansei”. Quer saber o que está acontecendo no Executivo que não conversam com os vereadores da base: “Precisamos ser ouvidos”. E repetiu: “Eu cansei. Eu cansei”.

    OBS: outros vereadores da base preferiram o silêncio que defender o Executivo. A sessão de ontem deve ter desdobramentos políticos a partir de agora.

    -------------------------------------------------------

     

    Calúnia e difamação nas redes sociais

    Médicos da rede pública vem sendo caluniados nas redes sociais. Agressões verbal de todas as ordens são postadas. Diante de fatos recorrentes alguns médicos estão buscando reparos na Justiça. Uma das ações é contra 13 pessoas.

    As providências de alguns médicos é processar essas pessoas por calúnia e difamação. Um destes médicos disse “que o objetivo é alertar essas pessoas que não tem a mínima noção do que falam. São comentários da boca para fora a partir da sua imaginação. São acusações levianas que acabou me levando a buscar esse reparo. Vivemos um momento de muita agressividade, precisamos buscar o equilíbrio”.

    Esse é um caso envolvendo médicos, porém as calúnias e sem embasamento de algumas pessoas é corriqueiro nas redes sociais. As pessoas muitas vezes não têm a noção da força da rede. E com toda a intolerância que vivemos vira um rastilho de pólvora, dando dimensão maior que é dos fatos.

     

    WhatsApp para a secretaria de Obras

    Na sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Erechim de ontem (15), o vereador Renan Soccol (PSDB) teve um pedido de providências aprovado solicitando o uso do WhatsApp mais especificamente na secretaria de Obras Públicas e Habitação para agilizar as demandas.

    A ideia é beneficiar aqueles cidadãos que não podem comparecer à secretaria em horário comercial. Segundo o vereador o objetivo é elencar os tipos de procedimento que podem ser adotados via aplicativo: “objetivo é tornar os serviços públicos mais eficiente”, comenta o vereador.

    Mas Lucas Farina disse que nem os pedidos dos vereadores são atendidos, imagina via WhatsApp.

    A ideia é boa. A questão é como operacionalizar.

     

    Lixeiras em bairros

    O vereador Mário Rossi (MDB) solicita ao Executivo erechinense que se instale lixeiras em bairros da cidade. Já escrevi sobre esse tema algumas vezes, pois tirando as ruas bens centrais, faltam lixeiras pela cidade. Essa demanda também foi de um vereador mirim.  

     

    Acessibilidade no prédio da prefeitura

    A falta de acessibilidade do prédio da prefeitura de Erechim, foi tema de pedido de informações do vereador Ale Dal Zotto (PSB). Aprovado pelos vereadores na sessão da segunda-feira (15) solicita implantação de rampas, elevadores ou plataformas para pessoas com mobilidade reduzida e cadeirantes. O pedido foi feito pelo vereador mirim.

     

    Peregrinação na Capital Federal

    Comitiva de lideranças regionais estão em Brasília para pressionar os parlamentares da bancada gaúcha para incluir recursos através de emendas para início da construção do novo complexo da Fundação Hospitalar Santa Terezinha. Da Associação dos Municípios do Alto Uruguai Gaúcho (AMAU), 25 dos 32 municípios estão representados.

    Ao longo do dia prefeitos irão visitar individualmente os deputados federais de seus partidos e no final do dia a bancada gaúcha irá receber a comitiva do Alto Uruguai, quando será apresentado o projeto.

    O prazo máximo para indicar emendas de bancada encerra em 20 de outubro, para poder receber os recursos em 2009. Caso contrário a peregrinação continuará a partir do próximo ano com a nova legislatura.

     

Blog dos Colunistas

Publicidade

Horóscopo

Áries
21/03 até 20/04
No trabalho, pode surgir conflito ao lidar com colegas. Com...

Ver todos os signos

Publicidade