Publicidade

Ensino

Material escolar já movimenta o comércio

Por Najaska Martins - najaska@jornalbomdia.com.br
Foto Najaska Martins

Preço atrativo dos produtos licenciados deverá ser uma das novidades deste ano

Uma das principais despesas familiares de início do ano - o material escolar - já está movimentando o comércio: se não pelas compras que ainda são tímidas, sim pela organização dos lojistas que já preparam suas vitrines e estoques com diversidade de produtos e preços. Otimistas, eles já projetam boas vendas, com acréscimo de até 10% em relação a 2017. Neste ano, uma novidade promete atrair os consumidores: produtos licenciados como estojos e mochilas de marcas conhecidas deverão contar com bons descontos. 
O proprietário de uma loja de materiais de escritório, Tiago Moretto, explica que isso se deve ao fato de estes itens terem ficado em estoque nos anos anteriores. "Em geral estes são os produtos com os preços mais altos. Como os últimos anos foram marcados pela instabilidade econômica, eles não tiveram muita saída e ficaram em estoque e, por isso, desta vez nos repassaram bons descontos, o que certamente deve atrair quem estiver à procura", justifica, ao citar que os descontos chegam a até 30%. 
Situação semelhante ocorre em outra papelaria onde, conforme a gerente Lizete Bondan, os descontos já surpreendem consumidores. "Muitas pessoas querem se adiantar e deixar todos os materiais comprados antes de viajarem para as férias e também para garantir estes produtos de marcas mais conhecidas, que costumam ter saída mais rápido porque estão em alta. Dessa forma, quem já está vindo comprar tem gostado dos preços que, em alguns casos caem quase pela metade", afirma.
Preços, condições e alternativas
Como de praxe, o preço é um dos fatores que fazem a diferença na hora da escolha. Neste ano, a Associação Brasileira de Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares e de Escritório (ABFIAE) estima um aumento de 8% nos preços dos materiais escolares, valor atribuído em partes à alta carga tributária dos produtos. Ainda assim, há opções para todos os bolsos. Em uma pesquisa rápida de itens como cadernos de capa dura, os menores preços encontrados foram de R$ 5,90 e os mais altos chegaram a R$ 19,50. Já em itens como lápis de escrever os valores variaram de R$ 0,20 a R$ 2,50. No caso de mochilas os preços variam de R$ 28 a R$350. 
Para garantir boas vendas, os lojistas apostam em bons descontos para pagamentos à vista ou condições favoráveis para pagamentos no cartão de crédito. "A meta é aumentar as vendas e atrair os clientes e, por isso, quanto melhores forem as condições, maiores são as compras", justifica Lizete, ao salientar que a aposta está em produtos de marcas renomadas e de qualidade.
Já Tiago foca em alternativas como horário de atendimento diferenciado, feira específica de vendas de material escolar e até estacionamento próprio para os clientes. "Se formos parar para pensar, o material escolar movimenta muito a economia local, rendendo até contratações temporárias que possam vir a se tornar efetivas. Isso porque é uma despesa básica e fundamental para as famílias no início do ano, por isso a gente precisa buscar alternativas para atender bem e, ao mesmo tempo, alavancar bons negócios", finaliza.

 

Publicidade

Blog dos Colunistas