Publicidade

Rural

Sol e calor beneficiam colheita do milho precoce

Milho.jpg
Por Karine Heller
Foto Antonio Grzybowski

A previsão para os próximos dias na região do Alto Uruguai é de baixa nebulosidade e muita presença do sol. Segundo Ivegndonei Sampaio, observador meteorológico da Embrapa Passo Fundo, a semana será quente e seca em Erechim. “Essa massa de ar seco que entrou na região Norte do Estado nesses últimos dias deve prevalecer até a próxima sexta-feira (9). Serão dias de poucas nuvens e muito sol, com as mínimas variando entre 16 a 18ºC e máximas oscilando entre 28 e 30ºC”, relatou Sampaio.

Milho

Para a colheita do milho precoce, que teve início no Alto Uruguai nos últimos dias e deve se estender até o mês de abril, conforme o chefe do escritório municipal da Emater de Erechim, Walmor Gasparin, a previsão de dias sem chuva é vista de forma satisfatória.

“Quem já está colhendo o milho deve se beneficiar muito nos próximos dias com essa previsão do tempo. Porém, aquelas lavouras onde a cultura está na fase de crescimento e enchimento do grão, o ideal é que tivéssemos dias de chuva. Dessa forma entramos em um paradigma. O que será ideal para alguns produtores, não será o esperado para outros, já que o período da colheita de milho é de aproximadamente três meses”, declarou Walmor.

O preço do milho praticado em Erechim na sexta-feira (2) foi de R$ 27.

Equilíbrio climático

Conforme o gerente comercial da unidade de Erechim da Cooperalfa, Eudes Biavatti, mesmo que o tempo seco e quente esteja beneficiando alguns produtores, é preciso o equilíbrio climático para a prosperidade das lavouras. “Para quem está colhendo ou que vai colher nos próximos dias o clima sem chuvas é excelente, mas para o milho mais tardio é preciso que tenhamos dias de chuva nas propriedades onde a cultura está na fase de crescimento e enchimento dos grãos. A agricultura depende muito do clima e o equilíbrio entre dias secos e chuvosos é fundamental para todas as culturas”, relatou Biavatti.

Máquinas a pleno vapor

Na propriedade de 15 hectares de plantação de milho dos produtores da Linha Bela Vista, interior de Jacutinga, Aldo e Zelindo De Ré, as máquinas estão a pleno vapor. A colheita no local iniciou no dia 1 de fevereiro e, apesar de o valor do preço do milho estar a baixo do esperado pelos produtores, os agricultores estimam colher aproximadamente 150 sacas por hectare, o que representa cerca de 2,2 mil sacas do grão.

“Tivemos pouca chuva em alguns períodos onde os grãos estavam em formação. A estiagem registrada entre os últimos dias de novembro e parte de dezembro, afetou a fase de floração e o consequente desenvolvimento natural das plantas e grãos. Porém teremos uma boa safra, onde utilizaremos 3% para a produção de silagem para o gado de corte e de leite, e a palha que ficará na lavoura, também será utilizada como alimento para os animais”, relataram os produtores rurais.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas