Publicidade

Rural

Produzir alimentos requer intensa dedicação

Ademar está sempre atento ao gosto e às necessidades do consumidor e agradece a preferência dos clientes que compram seus produtos na feira

Produtor Ademar Luis Guarnieri
Por Ígor Dalla Rosa Müller
Foto Ígor Dalla Rosa Müller

Sempre vai ter espaço na economia, mas atividade não é simples, requer identidade e demora anos para estruturar o negócio, afirma produtor Ademar Luis Guarnieri

O produtor de hortifrútis Ademar Luis Guarnieri, morador da Linha Batistela na saída para Barão de Cotegipe tem 31 anos de experiência na agricultura. “Faço parte de um processo de sucessão familiar. Começou com meu pai e continuamos na atividade eu e meu irmão”, comenta.

Segundo Ademar, eles produzem quase toda linha de hortifrútis, verduras, agroindústria de minimamente processados, milho verde e mandioca descascada e também vinho, “tradição de família que começou no tempo dos avós”.

O agricultor explica que a produção de comida sempre vai ter espaço na economia, no entanto, a atividade não é simples, aliás, requer identidade e demora anos para estruturar o negócio. “Sempre vai precisar de comida. É um bom negócio para quem gosta e nasceu ali. É difícil alguém sair da cidade e ir para o campo, continuar é mais fácil. Tem pouca gente ficando, a maioria está saindo e poucos voltam. Demora anos para ter uma estrutura para conseguir produzir e ter renda”, ressalta.

Ele enfatiza que ficou na agricultura porque gosta da atividade e pretende continuar produzindo alimentos, que tem retorno financeiro, desde que a mão de obra seja familiar. Isso porque, necessita de uma intensa dedicação à cultura durante todos os dias da semana.

“A gente não tem horário para trabalhar, não tem fim de semana. Quando é safra, se tiver que ficar todos os dias tem que ficar. O vinho é um exemplo. São 70 dias de trabalho, todos os dias da semana, sexta, sábado, domingo, das 6h da manhã até a hora que tiver serviço, até à meia noite. Dá retorno, mas tem que fazer render o serviço”, destaca.

Além dessa dedicação permanente, é importante incorporar novas tecnologias à produção. “Sempre evoluindo, usando as experiências antigas, mas vendo as novidades”, salienta.

Ele destaca que o custo de produção não é baixo e as técnicas de cultivo vêm sendo modificadas ao longo dos anos. “Se tem uma despesa de até R$ 5mil para fazer o plantio de mil mudas de tomate, entre mudas e plantio. Uma vez se colhia a semente dos frutos mais bonitos e fazia as mudas em casa. Hoje, não é mais viável fazer isso”, observa.

Ademar está sempre atento ao gosto e às necessidades do consumidor e agradece a preferência dos clientes que compram seus produtos na feira. Todo dia busca fazer o melhor, cultivando alimentos com mais qualidade.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas