Publicidade

Rural

Atenção redobrada na hora de plantar

Produtor deve aguardar as melhores condições de temperatura do solo para iniciar plantio, em função das possíveis perdas e elevado custo de produção

Volmir Nadal segue as orientações técnicas para iniciar plantio
Por Ígor Dalla Rosa Müller
Foto Divulgação

Apesar de ser fundamental para cadeia agrícola e alimentação dos animais, a cultura do milho vem perdendo espaço ano após ano na região Alto Uruguai. No entanto, para alguns produtores é importante plantar milho. Isso porque, a cultura, entre outras coisas, gera reflexos no principal cultivo de verão, a soja. A expectativa para esse ano é que essa realidade seja um pouco diferente.     

Para o produtor da Linha Farroupilha de Quatro Irmãos Volmir Nadal, o milho é importante, e por isso planta todos os anos. Nessa safra vai cultivar sete hectares, que serão comercializados em grão. Nadal pretende iniciar o plantio a partir do dia 15 a 20 de setembro, quando a temperatura do solo está mais favorável à cultura. “Ainda está um pouco frio para antecipar o plantio”, explica.

Uma estratégia utilizada por Nadal para diminuir os custos de produção, que são elevados, é antecipar a compra dos insumos, semente e adubo. “Comprei os insumos mais cedo, no mês de maio, assim consigo produtos mais baratos. Hoje, custa muito mais caro, quase 20% a mais, por causa do aumento do preço do adubo”, observa. Quando comprou a semente de milho ainda estava com o mesmo valor do ano passado.

Ele ressalta que o custo de produção por hectare gira em torno de 79 sacas por hectare.  “Fiz um contrato de milho com preço de R$ 35 o saco, isso dá um custo de R$2765,00. A minha previsão é colher no mínimo uns 160 sacos por hectare para valer o investimento”, destaca.

Com tudo preparado, Nadal só está esperando o momento certo para realizar o plantio, que será feito com maquinário próprio. “Eu mesmo planto”, afirma.

Na opinião de Nadal, que cultiva milho todos os anos, é muito importante manter esse plantio, isso porque, serve para fazer a rotação de culturas, evitar doenças no solo, tendo reflexos também na produtividade da soja. E, além disso, “se o ano é bom, o milho dá a mesma lucratividade que a soja”, salienta.

Na propriedade de Nadal a produção é diversificada, ele planta ainda 50 hectares de soja e tem vacas de leite.

 Avaliação técnica

Conforme a extensionista da Emater de Quatro Irmãos Joviane Salvador, a orientação que está sendo repassada aos produtores é aguardar as melhores condições de temperatura de solo para iniciar o plantio. “Apesar da umidade ser favorável, a temperatura do solo ainda é muito baixa, o que ocasiona problemas com estande de plantas, germinação desuniforme, plantas vencidas e baixa produção”, explica.

Joviane ressalta que o custo do adubo e da semente de milho está muito alto nesta safra, “por isso os cuidados no plantio devem ser redobrados”. Ela destaca que o custo por hectare está em torno de R$2,5 mil. “O custo médio da safra passada girou em torno de R$2.150 por ha, e a média de produtividade na última safra no município foi de 9.000 kg por ha”, comenta.

Segundo a engenheira agrônoma da Emater, a rotação de culturas com milho favorece tanto o sistema do solo quanto o bom manejo de pragas, doenças e plantas daninhas. “As raízes ajudam a estruturar o solo, torná-lo mais poroso e rico em material orgânico de longa durabilidade (alta relação carbono/nitrogênio). Com milho é possível estacionar herbicidas, inseticidas e fungicidas, diminuindo a seleção e a resistência”, salienta.

Além disso, ressalta Joviane, a cultura do milho otimiza o uso de mão de obra e máquinas, pois distribui melhor os trabalhos da propriedade.

Na região  

A lavoura de milho safra 2018/2019 na região Alto Uruguai tem previsão de área de cultivo de 55.850 hectares, sendo 40.480 hectares para grãos e 15.370 hectares para silagem, de acordo com informativo conjuntural do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Erechim. Há expectativa de crescimento da área de plantio em relação à safra passada, mas não muito expressivo. A maior parte do milho para silagem é plantada após o plantio das lavouras de milho para grão, ou seja, safrinha de milho para silagem, com isso aumentando a área e a produção de silagem. O plantio das lavouras de milho ainda está em fase inicial na região.

No Estado, de acordo com o informativo, a safra de milho poderá ter uma retomada de área plantada, passando de 699 mil hectares para 738 mil ha, representando um aumento de 5,53%, o que deverá elevar a produção em 11,29%, chegando a um volume de 5 milhões de toneladas de milho, contra as 4,5 milhões na safra anterior.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas