Publicidade

De volta para casa: Lucas fala de seu retorno para o Atlântico após sete meses na China

Lucas volta a defender o Atlântico
Por Edson Castro
Foto Edson Castro

Quando deixou Sananduva rumo à Erechim no final de 2014, Lucas sabia que poderia dar um grande salto na sua recente carreira no futsal. E no clube erechinense, ele esteve em campanhas vitoriosas como o Mundial de Clubes e o tricampeonato Gaúcho. Após 2017, decidiu tentar um novo salto, desta vez internacional indo para o futsal chinês.

O que pegou muitos de surpresa foi sua volta, sete meses depois e outra vez para o Atlântico. Mas em entrevista a reportagem do jornal e TV Bom Dia, ele explica o retorno. “Estou voltando para casa. Quando deixei o futsal chinês, nem pensei em outra possibilidade que não fosse o Atlântico”, destaca.

Segundo ele, a passagem internacional em sua carreira foi importante. “Acredito que foi muito positivo jogar na China. Eu queria ter esta experiência e foi muito legal”, pontua. Lucas cita que há diferenças significativas entre o futsal praticado do outro lado da terra e no Brasil. “Lá é mais cadenciado, mais posse de bola”, avalia.

O ala também não acredita que encontrará dificuldades na readaptação, algo que aconteceu recentemente com outro jogador que deixou Erechim para atuar fora. Everton passou um tempo na Europa e teve dificuldades no retorno ao Galo em 2017.

“Ele ficou mais tempo fora, se adaptou ao estilo local e quando voltou precisou mais tempo. Como fiquei apenas sete meses, não perdi o “time” daqui, então acredito que será mais fácil para mim”, salienta.

O jogador já estreou, fez dois jogos pela Liga Gaúcha e no próximo domingo vai encontrar um velho conhecido pela frente, desta vez na Liga Nacional de Futsal (LNF): a ACBF. Isso porque, o time de Erechim encara o da Serra a partir das 11h, em partida que vale inclusive brigar pela liderança do Campeonato.

A delegação erechinense viaja nesta sexta-feira para Carlos Barbosa.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas