Publicidade

Segurança

Pesca ilegal na mira da Patram

Polícia Ambiental amplia fiscalização para combater o uso de redes de pesca no período de reprodução dos peixes

Patram amplia fiscalização nos rios da região
Por Antonio Grzybowski - jornalismo@jornalbomdia.com.br
Foto Divulgação

A Polícia Ambiental da Brigada Militar iniciou a Operação Piracema na região do Alto Uruguai. O trabalho policial começou na segunda-feira (1º) e se estende até o dia 31 de janeiro de 2019. Durante estes quatro meses serão intensificadas as ações de combate a pesca ilegal em todos os rios de Erechim, especialmente nas áreas banhadas pelos rios Uruguai e Passo Fundo.
De acordo com o comandante da Patram Erechim, tenente Tiago Bernieri, na próxima quarta-feira (10) será realizada uma grande operação no leito do Rio Grande. Neste trabalho policial estarão envolvidos policiais militares de Erechim, Nonoai, Frederico Westphalen e São José do Ouro, que estão patrulhando as águas do maior rio da região, com o objetivo de reprimir a pesca no período de reprodução de peixes.
O comandante da Patraum explica que a Operação Piracema é realizada em todo o Brasil, por força de leite federal e normas estabelecidas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Os infratores flagrados pescando com redes ou outros apetrechos considerados ilegais, serão autuados, pagarão multa ambiental que pode variar de R$700,00 a R$1 mil, terão utensílios e embarcações apreendidas e ainda responderão processo criminal no âmbito do poder Judiciário, sujeito ainda a imposição de nova multa imposto pelo juiz que julgara o processo.
"O pescador poderá apenas utilizar uma vara de pesca normal, sem carretilhas ou molinete. A utilização de barcos a motor também fica proibida, e o pescador poderá capturar até 5 quilos de peixes. 
Tiago Bernieri relata que mesmo com todo o trabalho de fiscalização, na região do Alto Uruguai ainda é comum encontrar pessoas praticando a pesca ilegal no período na piracema. Para ampliar a repreensão a este tipo de crime a Patram conta com diversos barcos e agentes treinados para combater a pesca ilegal, inclusive nos pequenos rios. Neste ano serão intensificadas as ações de monitoramento por meio do uso de tecnologias. Um drone repassado pelo Ministério Público ainda no ano passado, já está sendo utilizado no trabalho de policiamento ambiental
Dúvidas ou denúncias podem ser repassadas pelo telefone da Patram (54) 3519-9723.
Desmatamento ilegal em Campinas do Sul e Paulo Bento
O drone foi a ferramenta utilizada pela Patram para localizar um desmatamento ilegal no município de Campinas do Sul. O flagrante ocorreu no dia 28 de setembro no momento em que os policiais militares constataram que o proprietário de uma área rural havia realizado a derrubada de inúmeras árvores sem a licença ambiental - pinheiros, angicos, tibo, canela. O dono da terra argumentou que a finalidade era aumentar a área de plantio. 
No mesmo dia a Patram também flagrou a derrubada de árvores centenárias no interior do município de Paulo bento
"Ambas as áreas somaram 15 mil metros de área desmatada. Os proprietários foram multados e responderão criminalmente pelo fato", informou a Patram por meio de nota divulgada à imprensa.
Poluição ambiental
No momento em que os policiais da Patram retornavam para a base em Erechim, avistaram máquina contaminada com resíduos de lixo que estava sendo lavada em um rio que abastece residências em Paulo Bento.
A empresa será multada e responderá criminalmente pelo crime ambiental de poluição.
Em todas as ocorrências os nomes dos envolvidos não foram divulgados.

 

Publicidade

Blog dos Colunistas