Publicidade

Rural

Segunda etapa do Dia de Campo aborda fruticultura

Alunos apresentaram as características de 29 tipos de culturas, custos, técnicas de produção, qualidades nutricionais, principais doenças e utilidade das plantas

Anderson Villa e Lucas Cardoso
Jean Sakrozenski e Felipe Risson
Larissa Rampanelli e Marcelo Calza
Mateus Tomazeli e José Dall´Agnol
Professora Nelsi, Alam e Mailon
Por Ígor Dalla Rosa Müller
Foto Ígor Dalla Rosa Müller

Um dia para por em prática a futura profissão. Essa é a proposta do Dia de Campo do Colégio Agrícola Estadual Ângelo Emílio Grando de Erechim, realizado no último dia quatro. Nessa segunda etapa os alunos trabalharam a fruticultura.  No dia, foram apresentadas as características de 29 tipos de culturas, custos, técnicas de produção, qualidades nutricionais, principais doenças e utilidade das plantas.

Conforme a professora de Geografia, Nelsi Kunz, que acompanhava as apresentações, avaliando todo contexto, cartazes, postura dos alunos, vestimenta, o Dia de Campo é muito importante porque ajuda a preparar o aluno para quando ele for atuar como profissional no mercado de trabalho.  “Isso é o começo do prosseguimento da profissão deles. O aluno hoje tem que ter uma desenvoltura para poder amanhã reproduzi-la no trabalho”, afirma.

A professora tem orgulho de participar desses trabalhos com os alunos, já que também foi agricultora. “Isso me traz acolhimento com eles, até porque numa sala de aula a gente não tem essa experiência”, observa.

Nelsi ressalta que essa tarefa resulta em crescimento, contribuindo para formar profissionais capacitados. “Muitos alunos já estão no mercado de trabalho e estão se dando muito bem”, comenta.  

Culturas

Montenegrina

Lucas Cardoso e Anderson Villa falaram sobre a bergamota montenegrina e é originaria da Alemanha. A fruta tem casca fina, 18 a 20 sementes, possui vitamina A, B, B1 e ferro. Produz cerca de 34 toneladas por hectare de setembro a outubro, conforme a variedade. Depois de implantada, a cultura demora quatro anos para produzir, dependendo dos cuidados. Precisa de um solo bem drenado, arenoso, boa adubação, palhada e ser podada. Para evitar pregas e doenças é necessário fazer um quebra-vento ou ter árvores mais altas ao redor.  

Romã

Jean Sakrozenski e Felipe Risson abordaram a cultura da romã. Tem origem na Ásia, produz bem na região e não necessita de muitos cuidados. Produz depois de três a quatro anos de implantada. Tem vitamina E, A. Pode ser cultivada em qualquer tipo de solo, se bem drenado, fértil, com bastante matéria orgânica vai produzir melhor. Produz uma vez por ano na época de novembro. É rústica, mas se alguma praga atacar se terá dificuldades para  controlar. A planta chega ter de 3 a 4 metros e altura.  

Araçá

Larissa Rampanelli e Marcelo Calza apresentaram sobre o araçá. Planta da Amazônia com vários tipos inclusive da Europa. Se adaptou bem a região. Dois anos após o plantio começa a produzir, que inicia em janeiro e vai até maio. Tem bastante cálcio, ferro, vitaminas A,B e C. O solo precisa de bastante matéria orgânica, ser bem irrigado, mas sem muita água.

Banana

Mateus Tomazeli e José Dall´Agnol abordaram a cultura da banana originária do sudeste da Ásia. Precisa de um clima quente para produzir, no frio não se estabelece. O plantio tem que ser feito na estação chuvosa no início de setembro. Depois de um ano e meio a banana começa produzir. O solo tem que ser argiloso com 25% de umidade. Tem vitamina B, A, potássio e rico em fibras. Fruta muita consumida que gera boa renda para agricultura familiar.

Abacate

Alam Maroli e Mailon Portela. O abacate é originário da América Central. Rico em proteína e gordura. Produz na nossa região, quando é quente. Solo não pode ser ácido e tem que ter bastante matéria orgânica. Depois de implantado por enxerto produz a partir de dois anos.   

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas